Diferenças entre Condicionamento Clássico e Operante com exemplos

Condicionamento Operante vs Condicionamento Clássico: Diferenças e exemplos

O condicionamento clássico e o condicionamento operante podem ser vistos como dois tipos de aprendizagem associativa entre as quais existe uma diferença significativa. Estas duas formas de aprendizagem têm suas raízes na Psicologia Comportamental, ou Behaviorismo. Esta escola de psicologia estava preocupada com o comportamento externo de indivíduos, quando observáveis. Nesta posição lógica, eles rejeitaram a ideia de estudar cientificamente o que não poderia ser observado. Este ramo também se envolveu em pesquisa científica e salientou a importância de empirismo.

→ Saiba mais: As diferenças entre Behaviorismo e Funcionalismo

Condicionamento clássico e condicionamento operante podem ser considerados como duas das maiores contribuições do behaviorismo para a psicologia que explicam duas dimensões diferentes da aprendizagem. Através deste artigo, vamos examinar as diferenças entre o condicionamento clássico e operante ao ganhar uma melhor compreensão das teorias individuais.

Rato: "Tá na hora da comida. Eu tenho que pressionar a alavanca." Cão: "Tô ouvindo o barulho do sino. É hora da comida."
Rato: “Tá na hora da comida. Eu tenho que pressionar a alavanca.” Cão: “Tô ouvindo o barulho do sino. É hora da comida.”

O que é condicionamento clássico?

Condicionamento clássico foi uma teoria introduzida por Ivan Pavlov. Ele explica que algumas formas de aprendizagem podem ser respostas involuntárias, emocionais e fisiológicas. Na época que Pavlov introduziu o condicionamento clássico, ele estava trabalhando em outra pesquisa. Ele notou que o cão que ele usou para o experimento começava a salivar, não só quando a comida era dada, mas mesmo ao ouvir seus passos. É este incidente que influenciou Pavlov a estudar o conceito de aprendizagem. Ele conduziu uma experiência com a intenção de entender esse conceito. Cada vez que ao cão foi dado alimento ou até mesmo com a simples visão ou cheiro da comida, o cão começava a salivar. Isto pode ser compreendido do seguinte modo.

Estímulo incondicionado (comida) → resposta incondicionada (salivação)

Em seguida, ele soava um sino para ver se o cão iria salivar, mas isso não aconteceu.

Estímulo neutro (sino) → Sem resposta (sem salivação)

Em seguida, tocou a campainha e ofereceu a comida, o que fez o cão salivar.

Estímulo incondicionado (comida) + estímulo neutro (sino) → resposta incondicionada (salivação)

Após a realização deste procedimento por um tempo, ele percebeu que o cachorro salivava toda vez que o sino tocava, mesmo se a comida não fosse apresentada.

Estímulo condicionado (sino) → resposta condicionada (salivação)

Através da experiência, Pavlov destacou que estímulos neutros podem ser transformados em estímulos condicionados, produzindo uma resposta condicionada.

Mesmo no dia-a-dia, o condicionamento clássico é aparente em todos nós. Imagine uma situação em que um amigo(a) ou namorado(a) diz ‘nós precisamos conversar.” Ao ouvir as palavras, nos sentimos preocupados e ansiosos. Há muitos outros casos em que o condicionamento clássico se aplica à vida real, como o sino da escola, alarmes contra incêndio, etc. Isso também é usado para terapias como terapia aversiva usada para alcoólicos, inundações e dessensibilização sistemática utilizada para fobias, etc.

O que é condicionamento operante?

Foi o psicólogo americano B. F Skinner que descobriu o condicionamento operante. Ele acreditava que o comportamento é sustentado pelos reforços e recompensas, e não por livre arbítrio. Ele usou a famosa caixa de Skinner para seus experimentos. Este condicionamento envolve o comportamento voluntário e controlável, e não as respostas fisiológicas automáticas, como no caso do condicionamento clássico. No condicionamento operante, ação está associada a consequências pelo organismo. Ações que são reforçadas tornam-se fortalecidas enquanto as ações que são punidas estão sendo enfraquecidas. Ele introduziu dois tipos de reforços; reforço positivo e reforço negativo.

No reforço positivo, o indivíduo é apresentado a estímulos agradáveis que resultam no aumento do comportamento. Dar chocolate para um estudante por bom comportamento pode ser tomado como um exemplo. O reforço negativo é a ausência de estímulos desagradáveis. Por exemplo, terminar um trabalho escolar rápido, em vez de no último minuto, remove a tensão que o aluno sente. Em ambos os casos, o reforço funciona no sentido de aumentar um comportamento particular que é considerada como bom.

 

Skinner também falou de dois tipos de punições que diminuem um determinado comportamento. Elas são, a punição positiva e punição negativa.

Punição positiva envolve a adição de algo desagradável, como pagar uma multa, enquanto a punição negativa envolve a remoção de algo agradável, como limitar as horas de lazer. Isto evidencia que o condicionamento clássico e condicionamento operante são diferentes um do outro.

Qual é a diferença entre o clássico e operante condicionado?

• Origem:

• Tanto o condicionamento clássico quando condicionamento operante vem da psicologia comportamental.

• Fundadores:

• O condicionamento clássico foi desenvolvido por Ivan Pavlov.

• O condicionamento operante foi desenvolvido por BF Skinner.

• Teoria:

• Condicionamento clássico destaca que o estímulo neutro pode ser transformado em um estímulo condicionado, produzindo uma resposta condicionada.

• O condicionamento operante envolve condicionamento de  comportamento voluntário, controlável através de suas consequências – reforços e punições.

• Associação entre comportamento e resultados:

• No condicionamento clássico, a associação não pode ser controlada.

• No condicionamento operante, a associação entre comportamento e resultados é aprendida.

• Resposta:

• A resposta em condicionamento clássico é automática e involuntária.

• No condicionamento operante, a resposta é voluntária.


DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D

CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/






SEJA PSICOATIVO TAMBÉM E COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.