Monofobia (medo de ficar sozinho): Causas, sintomas, tratamentos

Medo de ficar sozinho – Monofobia

Monofobia é medo de ficar sozinho, de forma extrema. Muitas pessoas, bem como animais, sofrem de monofobia, e não é um medo fácil de superar. Monofobia também é conhecida por outros nomes, como Isolofobia ou autofobia. É caracterizada por extrema insegurança, ansiedade e depressão quando tem que ficar sozinho, mesmo por pouco tempo. Como resultado, a pessoa se recusa a dormir, comer ou até mesmo ir ao banheiro sozinha. Pessoas que sofrem de monofobia são incapazes de fazer muitas tarefas simples. O medo de estar sozinho também leva a relacionamentos ruins, como por exemplo, casos em que o indivíduo prefere sofrer abuso do que ser deixado sozinho.

Monofobia - Medo de ficar sozinho

MonophobiaFlickr

Os sintomas da Monofobia

Tal como acontece com outros tipos de fobias, o medo de estar sozinho também desencadeia diversos sintomas físicos e emocionais:

Os sintomas físicos:

  • Sentir-se instável, ter tontura ou vertigem
  • Sensação de asfixia
  • Aumento da freqüência cardíaca, palpitações ou coração batendo forte demais
  • Suor excessivo
  • Dor no peito e desconforto
  • Náusea ou desconforto gastrointestinal
  • Tremor ou estremecimento
  • Dormência ou formigueiro

Outros sintomas

  • Incapacidade de distinguir entre realidade e irrealidade
  • Medo de morrer
  • O medo de perder o controle
  • Ondas de frio / calor
  • Medo de desmaiar

Monofobia é muitas vezes combinada com outros tipos de fobias. Por exemplo, muitas pessoas que sofrem de agorafobia (medo de lugares abertos / públicos) ou Tanatofobia (medo da morte) também podem sofrer de Monofobia.

Causas do medo de ficar sozinho

O medo de estar sozinho pode ocorrer devido a várias razões. Tal como acontece com a maioria dos tipos de fobias, as origens da monofobia muitas vezes podem ser atribuída a infância do indivíduo, que um poderia ter tido uma experiência assustadora. Estresse de longo prazo, ansiedade, relacionamentos ruins, condições precárias de habitação e outros fatores sócio-econômicos também podem levar a monofobia.

Uma visão recente diz que a maioria das ansiedades e fobias ocorrem em pessoas que têm estratégias menos bem desenvolvidas para lidar com situações difíceis na vida. Crianças criadas por pais ansiosos também são mais propensas a sofrer com as fobias mais comuns. Elas herdam a ansiedade que as faz reagir negativamente a situações e eventos estressantes.

Uma pessoa que sofre com o verdadeiro medo de ficar sozinho também provavelmente não têm confiança no fato de que as atividades podem ser realizadas isoladamente. Essa pessoa sente que ter uma pessoa de confiança junto em todos os momentos é essencial e não fazê-lo pode levar à morte ou a ficar “fora de controle” quando surgem situações que causam pânico.

Tratamentos para monofobia

Muitos indivíduos que sofrem de monofobia desenvolvem estratégias de enfrentamento e técnicas de auto-ajuda para tentar resolver o problema. Como alternativa, pode-se também procurar tratamento de um psiquiatra / psicólogo, que pode recomendar terapias como psicoterapia, a terapia cognitivo-comportamental (que é conhecida por curar quase 75% das pessoas que sofrem de diferentes fobias). Hipnoterapia também é eficaz para o tratamento de muitos tipos de fobias.

Medo de ficar sozinho não tem cura com remédios, geralmente; No entanto, a terapia com a droga a curto prazo é conhecida por ser eficaz para tratar os sintomas. Beta-bloqueadores, ansiolíticos e anti-depressivos podem ser tomados sob a orientação de um médico para lidar com o stress e pânico causados pela monofobia. É importante notar que há muitos sintomas de abstinência que se poderia enfrentar ao parar de tomar esses fármacos, e o processo deve ser feito gradualmente e sob supervisão médica.

As técnicas de relaxamento e respiração são os “remédios naturais para tratar medo de ficar sozinho” mais indicados. Meditação, respiração profunda, relaxamento muscular e conversa relaxante com si mesmo são algumas das formas eficazes de lidar com a monofobia.

Da mesma forma, a dessensibilização e terapia de exposição gradual também ajudam o indivíduo a experimentar lentamente o medo de estar sozinho, primeiro sob a forma de imagens e visualização e, em seguida, na realidade. Isso pode ajudar a obter insensibilidade para que a pessoa não reaja com pânico incontrolável, quando estiver sozinha.

Saiba mais sobre outras fobias:

 

 





DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

7 comentários em “Monofobia (medo de ficar sozinho): Causas, sintomas, tratamentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.