🔴 Transtorno Bipolar: Causas, Sintomas e Tratamentos 🔵

Transtorno Bipolar é um transtorno mental caracterizado por mudanças extremas no humor, com flutuações nos níveis de energia e atividade.

Durante estas mudanças anormais, o paciente geralmente tem dificuldade para completar tarefas diárias. O transtorno bipolar costumava ser conhecido como doença maníaco-depressiva.

Transtorno Bipolar - mania e depressão

Transtorno bipolar é uma doença mental grave que pode destruir relacionamentos, minar perspectivas de carreira e afetar seriamente o desempenho acadêmico.

A  American Psychological Association diz que essas mudanças emocionais podem tornar-se tão grandes que as pessoas podem escolher o suicídio.

Conteúdo deste artigo:

  1. O que é transtorno bipolar?
  2. Causas do transtorno bipolar
  3. Sintomas do transtorno bipolar
  4. Diagnóstico do transtorno bipolar
  5. Tratamento para transtorno bipolar

Fatos rápidos sobre transtorno bipolar

Aqui estão alguns pontos-chave sobre o transtorno bipolar. Mais detalhes e informações de apoio estão no artigo principal.

  • O transtorno bipolar é uma condição grave e relativamente comum
  • Milhões de pessoas têm um diagnóstico de transtorno bipolar
  • O transtorno bipolar costumava ser conhecido como psicose maníaco- depressiva

O que é transtorno bipolar?

Um paciente com transtorno bipolar tem graves flutuações no humor – da depressão à mania. Normalmente, o humor fica normal entre os picos e depressões.

O transtorno bipolar não tem nada a ver com os altos e baixos que todos experimentamos na vida; É muito mais grave, debilitante e incapacitante.

Felizmente, é tratável, e com o cuidado apropriado e a medicação certa, os pacientes podem ir bem no trabalho e academicamente e conduzir vidas cheias, produtivas.

Estima-se que 2,9% dos norte-americanos são diagnosticados com transtorno bipolar e mais da metade de todos os casos começam quando os pacientes têm idades entre 15-25 anos. Homens e mulheres são afetados igualmente.

Causas do transtorno bipolar

A maioria dos especialistas concorda que o transtorno bipolar não tem uma única causa. É mais provável que seja o resultado de diversos fatores que atuam em conjunto.

Genética  – alguns pequenos estudos com gêmeos  têm indicado que há uma contribuição genética para o risco de transtorno bipolar. Pessoas com um familiar de sangue que tem transtorno bipolar têm um maior risco de desenvolvê-lo.

Características biológicas  – especialistas dizem que os pacientes com transtorno bipolar muitas vezes mostram mudanças físicas em seus cérebros. Ninguém está certo de porque as mudanças conduzem ao transtorno.

Desequilíbrio químico cerebral – desequilíbrios de neurotransmissores desempenham um papel fundamental em muitos distúrbios de humor, incluindo na doença bipolar.

Problemas hormonais  – desequilíbrios hormonais podem desencadear ou causar transtorno bipolar.

Os fatores ambientais  – abuso, estresse mental, uma “perda significativa”, ou algum outro evento traumático pode contribuir para o risco de transtorno bipolar.

Sintomas do transtorno bipolar

Sintomas durante episódios maníacos / hipomaníacos:

  • Uma sensação de estar no topo do mundo, alegria, ou euforia.
  • Autoconfiança exacerbada, um sentimento inflado de autoestima.
  • O julgamento do paciente pode ser prejudicado.
  • O paciente fala muito, e muito rapidamente.
  • Pensamentos vêm e vão rapidamente. Às vezes, ideias bizarras vêm para a mente do paciente, e eles agem por elas.
  • Nesta fase, o indivíduo pode ser extremamente próximo, às vezes agressivamente.
  • É mais provável que o indivíduo se envolva em comportamentos de risco, incluindo promiscuidade (maior libido), abuso de drogas ilegais e / ou álcool, e participe de atividades perigosas.
  • O paciente pode desperdiçar dinheiro.
  • Facilmente distraído.
  • Falta no trabalho ou escola e / ou desempenho inferior.

Sintomas durante episódios depressivos:

  • Um sentimento de melancolia, escuridão, desespero e desesperança.
  • Extrema tristeza.
  • Em casos graves, o paciente vai pensar em terminar sua vida, e pode agir por esses pensamentos.
  • Insônia e problemas de sono.
  • Ansiedade por coisas triviais.
  • Culpa – uma sensação de que tudo o que dá errado ou parece estar errado é culpa deles.
  • Padrões de alimentação – algumas pessoas comem mais, outras comem menos.
  • Perda de peso ou ganho de peso.
  • Cansaço extremo, fadiga , apatia.
  • Incapacidade de sentir prazer com atividades ou interesses que eram geralmente apreciados.
  • Baixo nível de atenção.
  • Facilmente irritado – isso pode ser provocado por ruídos, cheiros, roupas apertadas e outras coisas que normalmente seriam toleradas ou ignoradas.
  • Alguns pacientes são incapazes de ir ao trabalho ou à escola; Aqueles que o fazem normalmente tem desempenho abaixo do normal.

Psicose  – em ambos os episódios maníacos e depressivos pode haver psicose , durante a qual os pacientes não podem diferenciar a fantasia da realidade. Os sintomas da psicose podem incluir delírios (crenças falsas mas fortemente sentidas) e alucinações (ouvir ou ver coisas que não existem).

Transtorno Depressivo Maior, com padṛo sazonal Рanteriormente conhecida como transtorno afetivo sazonal (TAS). Alguns pacientes com transtorno bipolar t̻m humor que flutua com as esta̵̤es do ano.

Os sintomas em casos pediátricos de transtorno bipolar  – crianças e adolescentes são mais propensos a ter acessos de raiva, alterações de humor rápidas, explosões de agressão e raiva explosiva e comportamento imprudente.

É importante lembrar que o transtorno bipolar é uma doença mental tratável – é possível controlar os sintomas com cuidados adequados e levar uma vida normal e produtiva.

Diagnóstico do transtorno bipolar

Um psiquiatra ou psicólogo baseia o diagnóstico em experiências auto-relatadas de anormalidades de comportamento do paciente ou relatadas por membros da família, amigos próximos, colegas de trabalho e professores, bem como quaisquer sinais secundários detectados por outros profissionais de saúde.

Uma série de testes de diagnóstico físico pode ser encomendada após a realização de um exame físico, incluindo exame de sangue e testes de urina.

Existem três tipos amplos de transtorno bipolar:

1) Transtorno Bipolar I (transtorno bipolar tipo 1)

Houve pelo menos um episódio maníaco ou episódios mistos (com / sem episódios depressivos anteriores). A maioria dos pacientes teve pelo menos um episódio depressivo.

Eles também devem descartar transtornos de humor clínico que não estão associados com transtorno bipolar, como transtorno esquizofreniforme, distúrbio delirante ou algum outro transtorno psicótico.

2) Transtorno Bipolar II (transtorno bipolar tipo 2)

O doente sofreu um ou mais episódios de depressão e pelo menos um episódio hipomaníaco.

Um estado hipomaníaco é menos grave do que um maníaco. Durante um episódio hipomaníaco o paciente dorme muito menos, é muito competitivo e extrovertido, e está cheio de energia – mas eles estão em pleno funcionamento; Este pode não ser o caso com episódios maníacos.

Ao contrário dos episódios maníacos, durante um estado hipomaníaco, não há sintomas de psicose ou grandiosidade.

3) Ciclotimia (transtorno bipolar ciclotímico)

Isso é visto como uma forma sub-limiar (mais branda) de transtorno bipolar. Existem numerosos distúrbios do humor, com crises de sintomas hipomaníacos que alternam com períodos de depressão moderada ou leve.

No nível basal, um paciente com ciclotimia pode se sentir estável, mas passará por flutuações notáveis ​​envolvendo altas emocionais durante episódios hipomaníacos, com sintomas do tipo mania (mas menos grave) e depressões emocionais com sintomas depressivos, mas não graves o suficiente para atender aos principais episódios depressivos.

Tratamentos para o transtorno bipolar

O objetivo do tratamento para o transtorno bipolar é minimizar a frequência de episódios maníacos / depressivos e reduzir a gravidade dos sintomas para que o doente possa levar uma vida relativamente normal e produtiva.

Se os sintomas são deixados sem tratamento, um ataque de depressão / mania pode persistir por até 1 ano. Com o tratamento, entretanto, as melhorias são vistas dentro dos primeiros 3-4 meses.

Alterações do humor ainda podem ocorrer em doentes que receberam tratamento contínuo. No entanto, se o paciente trabalha em estreita colaboração com sua equipe médica e se comunica abertamente, o tratamento é geralmente muito mais eficaz.

O tratamento para o transtorno bipolar inclui uma combinação de diferentes terapias, que podem incluir medicamentos e intervenções físicas e psicológicas.

Hospitalização  – isso é muito menos comum hoje em dia. Se a equipe médica acreditar que existe o risco de que o paciente possa se machucar ou prejudicar outras pessoas, pode ser hospitalizado até que se sinta melhor.

Carbonato de lítio  – o mais comumente prescrito medicamento de longo prazo para o tratamento de episódios de longo prazo da depressão, mania / hipomania. Os pacientes geralmente tomam lítio por pelo menos 6 meses. Especialistas dizem que o cumprimento do tratamento (adesão) é vital para que ele funcione; O paciente deve seguir as instruções do médico sobre quando e como tomar a medicação.

Outros tratamentos incluem:

  • Anticonvulsivantes – às vezes prescritos para tratar episódios de mania.
  • Antipsicóticos – incluindo aripiprazol, olanzapina e risperidona. Prescrito se o comportamento é muito perturbado e os sintomas são graves.
  • Ciclo rápido – flutuações rápidas de alta a baixa, sem períodos “normais” intermediários. Pacientes com ciclagem rápida podem ser aconselhados a tomar uma combinação valproato-lítio. Se a combinação não é suficientemente eficaz, o médico pode recomendar lítio, valproato e lamotrigina em combinação.
  • Psicoterapia – o objetivo é aliviar os principais sintomas, ajudar o paciente a identificar e reconhecer os principais fatores desencadeantes, minimizar a negatividade nos relacionamentos, reconhecer os primeiros sintomas que indicam o início de um episódio e trabalhar sobre os fatores que ajudam a manter o “normal” Durante o maior tempo possível.
  • TCC ( terapia cognitiva comportamental ) – psicoeducação e a terapia focada na família foram encontradas sendo o mais eficaz na prevenção de recaídas. Terapia de ritmo interpessoal e social, bem como TCC, também podem ajudar com sintomas depressivos.

Referências:

Bipolar disorder. (n.d.). Retrieved from http://www.apa.org/topics/bipolar/

Bipolar disorder. (n.d.). Retrieved from http://www.nami.org/Learn-More/Mental-Health-Conditions/Bipolar-Disorder/Overview

Bipolar disorder. (2016, April 26). Retrieved from http://www.nhs.uk/Conditions/Bipolar-disorder/Pages/Introduction.aspx

Bipolar disorder – definition. (2016, April). Retrieved from http://www.nimh.nih.gov/health/topics/bipolar-disorder/index.shtml

Emma L. Dempster, Ruth Pidsley, Leonard C. Schalkwyk, Sheena Owens, Anna Georgiades, Fergus Kane, […] Jonathan Mill. (2011, September 9). Disease-associated epigenetic changes in monozygotic twins discordant for schizophrenia and bipolar disorder [Abstract]. Retrieved from http://hmg.oxfordjournals.org/content/early/2011/09/09/hmg.ddr416.abstract

Help with bipolar disorders. (2015, July). Retrieved from http://www.psychiatry.org/bipolar-disorder

What is bipolar disorder. (n.d.). Retrieved from http://bipolar.stanford.edu/bipolar.html


Traduzido a adaptado pela equipe do Psicoativo.




DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.