Motefobia (Medo de borboletas): Causas, sintomas, tratamentos

Motefobia ou Lepidopterofobia – medo de borboletas

Lepidopterofobia se origina da palavra grega Lepidoptera (grupo ou classe de insetos, incluindo borboletas, mariposas, e outros insetos alados). Motefobia pode ser especificada como medo de mariposas, mas no Brasil é convencional usar para medo de borboletas também. Acredita-se que a atriz Nicole Kidman sofra dessa fobia.

Motefobia - medo de borboletasEsse medo está intimamente ligado a Entomofobia (medo de insetos).

As pessoas com o medo de borboletas / motefobia tem pavor da maioria dos insetos alados. Normalmente, elas experimentam uma resposta de repulsa ao ver essas criaturas, e sentem medo, náuseas ou pânico particularmente vendo borboletas.

Muitos que sofrem de motefobia falam sobre ter medo das asas desses insetos, que são muitas vezes cobertas com escamas e na cor marrom ou preta. As escalas de cores e sua vibração constante desencadeiam uma resposta de medo ou ansiedade na mente do lepidopterofóbico.

Causas de motefobia

Este medo de borboletas surpreendentemente comum chamado motefobia tem causas como:

  • A vibração constante dessas criaturas aladas pode causar medo intenso na mente da pessoa com motefobia. A fobia é o medo de que o inseto possa acidentalmente tocar a sua pele, dando a sensação de rastejar, engatinhar ou coçar.
  • Muitos indivíduos com motefobia tendem a ter medo de pássaro (ornitofobia). Seu medo pode estar relacionado com o medo evolutivo que os seres humanos têm associado com criaturas voadoras. Não é de surpreender que uma pessoa com medo de borboletas também tenha medo de beija-flores ou outros animais que vibram rapidamente.
  • Borboletas e traças tendem a existir em enxames, como gafanhotos ou abelhas (a fobia de abelhas é a apifobia). A experiência negativa ou traumática com esses insetos em sua infância pode ter provocado a motefobia.
  • Pessoas submetidas a grande quantidade de estresse, ou com transtornos depressivos ou de ansiedade não diagnosticados, depois de um divórcio ou a morte de um ente querido, ou mesmo com a perda de emprego, podem de repente desenvolver um medo de borboletas extremo que chega a ser caracterizado como fobia. Esta pode evoluir para delírio parasitário, uma condição mental onde o sofredor constantemente ‘sente’ que insetos rastejam ou cavam em sua pele. Em casos extremos, isso pode levar a auto-mutilação.

Os sintomas da motefobia

  • Algumas pessoas com motefobia têm medo de olhar para fotos de borboletas. Elas experimentam profunda ansiedade, aversão ou pânico com a visão ou o simples pensamento sobre borboletas.
  • Também podem experimentar uma série de sintomas físicos da motefobia, como tremores, estado de fuga, choros e gritos, agitação, sudorese, palpitações cardíacas, boca seca, respiração rápida e superficial.
  • Em casos graves, podem coçar a pele excessivamente ou se recusar a sair de casa por conta de borboletas ou traças que podem encontrar.
  • A maioria dos portadores de motefobia vão evitar jardins, parques, jardins zoológicos ou lojas de flores, onde há uma maior chance de encontrar o objeto que causa a fobia: borboletas.
  • Motefóbicos muitas vezes se imaginam sendo atacados por essas criaturas aladas.
  • Sono e apetite podem ser afetados em alguns pacientes com motefobia.

Curar motefobia / Tratamento para perder medo de borboletas

Dessensibilização gradual é a melhor maneira de superar Lepidopterofobia / motefobia. Você pode começar por lentamente expor-se às borboletas usando seguintes passos:

  • Comece por visualização de fotos de borboletas na internet.
  • Faça um desenho de uma borboleta. Olhe para imagens realistas ou fotos, e vídeos sobre borboletas / mariposas.
  • Se possível faça terapia de grupo para pessoas com motefobia
  • Fale sobre o seu medo de borboletas: é importante que os familiares e amigos prestem o seu apoio.
  • Em caso de extrema fobia que está afetando a rotina diária, vale a pena ver um terapeuta profissional.

Deve-se notar que as técnicas de auto-ajuda mencionadas acima não irão mostrar resultados imediatos. Embora seja possível superar completamente o seu medo de borboletas, os resultados não serão instantâneas. O processo pode demorar dias, semanas ou mesmo anos para definitivamente curar a motefobia.

 
 

comprar livro freud analises de fobias menino hanslivro ansiedade fobias sindrome do panico comprar  medos fobias panico livro comprarcomprar livro tratando fobia panico depressao

 

 

 
 
 
 
 
 
 




DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

3 comentários em “Motefobia (Medo de borboletas): Causas, sintomas, tratamentos

  • 01/07/2016 em 22:30
    Permalink

    Meu filho de 8 anos tem medo de borboleta ja tentei tratar mostrar que ela não faz mal mas ele nao gosta de jeito nehum 😦

    Resposta
  • 19/08/2016 em 12:19
    Permalink

    Eu tenho 18 anos, desde muito nova tenho pavor de borboletas, se eu vejo uma eu corro, grito, me coço, as vezes tento até mesmo me esconder da borboleta. Muitas pessoas achavam que era brincadeira minha, depois que mostrei esse post ninguém mais duvida!
    Perguntei uma professora de biologia uma vez se a borboleta trás algum mal pra minha saúde, porque nem eu mesmo entendobo motivo desse pânico todo que tenho, mas ela como bióloga me garantiu que toda e qualquer substância que a borboleta pode espelir não é prejudicial a nenhum ser humano, somente aos predadores das borboletas!!
    FICO MUITO AFLITA COM ISSO

    Resposta
  • 31/12/2016 em 00:23
    Permalink

    Ola tenho 19 anos desde de pequena que tenho um medo enorme de borboleta ja cheguei ate desmaia porque uma borboleta encostou em mim so de escultar uma barulhinho de assas batendo ja ficou toda arrepiada e fico no alerta ja me escondir um dia todo no quarda roupa escondida porque uma entrou na minha casa e eu estava sosinha n tinha ninguen pra tirar ela…mesmo sabendo q ela n faz mal msm assim eu tenho medo e muitos ate da minha famiilia rien de mim …nao me apoian

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.