Androfobia (Medo de homens): Sintomas, tratamentos, causas

Androfobia é o medo de homens, de um jeito anormal e persistente.


Androfobia (Medo de homens)(Do grego: Andras = homem e Phobos = medo). Como com todos os medos, o medo dos homens também é arraigado ou pré-programado como uma “resposta instintiva ao perigo potencial”. Tal fobia pode afligir homens e mulheres, mas é geralmente vista em mulheres mais jovens.

Como muitas outras fobias, a fobia de homens pode continuar na idade adulta. As pessoas que sofrem normalmente se recusam a ser deixadas sozinhas com um homem, apesar de ser um amigo próximo ou parente, e podem ter pesadelos com isso. Isso pode afetar significativamente a qualidade de vida, especialmente se elas se recusam a sair de casa, temendo um encontro com uma pessoa do sexo masculino.

Às vezes, as pessoas podem ser capazes de levar uma vida normal apesar de sua androfobia; podem ter amigos do sexo masculino, mas não podem formar relacionamentos com homens ou podem se sentir muito nervosas ao trabalhar com homens.

Origem e causas da androfobia

Como a maioria das fobias, androfobia tem diferentes origens.

Mais comumente, um evento negativo ou traumático, como estupro ou agressão sexual, é bastante provável de ser responsável pelo temor exagerado. O cérebro do fóbico, principalmente partes como a amígdala e hipotálamo “aprendem” a recriar a mesma resposta de medo como no momento do evento. Essas áreas também são responsáveis pelas respostas físicas ao medo.

As meninas são comumente ensinadas a ficar longe do sexo oposto; isso está enraizado desde a infância. Cuidadores, pais ou avós podem ser responsáveis por incutir esse receio em mentes jovens. Avisos como “fique longe de homens estranhos, ou não entre em um carro com um homem” podem levar à “reprogramação” do cérebro.

Programas de TV, filmes, notícias de estupro, sequestro, assassinato ou etc também podem levar a fobia dos homens.

Sintomas da fobia de homens

Androfobia é caracterizada por vários sintomas, tais como:

  1. Os sintomas físicos: Um ou mais dos seguintes sintomas podem estar presentes, tais como: respiração rápida, maior taxa de pulso (palpitações), tremores ou agitação, sudorese, sentir-se como se fosse ter desmaio ou tonturas, sensação de asfixia ou dores no peito, desconforto gastrointestinal, náuseas. Estes se apresentam quando se chega perto de um homem ou mesmo se pensa em um encontro com um homem.
  2. Os sintomas psicológicos: sentimentos ou pensamentos de medo, terror, pânico, ansiedade extrema, pensamentos de morte, temendo perder o controle e passar vergonha.

O androfóbico pode ser deprimido devido ao medo. Pode ter problemas para dormir e comer, devido à fobia. A maioria gagueja quando fala com os homens. Os indivíduos mais jovens podem chorar, gritar ou fugir quando confrontados com o objeto de temor.

Como curar androfobia e perder medo de homens

Se você ou um ente querido sofre de androfobia, note que é um transtorno curável. Você deve, em primeiro lugar, disciplinar-se para se ajustar a seu medo. Tal ajuste deve ser feito de forma gradual; ele é chamado de dessensibilização gradual ou terapia de exposição graduada. Você pode começar devagar: ver fotos de homens, pensar sobre o encontro ou falar com eles e assim por diante. Você também pode usar técnicas de relaxamento, como respiração profunda e meditação para superar a ansiedade associada com sua fobia.

A terapia de grupo ou sessões de terapia de conversação individuais também podem ajudar a superar o medo dos homens. Hipnoterapia é conhecida por ser altamente bem sucedida na descoberta da causa de muitas fobias. Depois de descobrir as raízes do problema, você será capaz de ver a razão e racionalizar o medo.

Os terapeutas também incentivam fóbicos a escrever seus medos e enfrentá-los com pensamentos positivos ou racionais. Por exemplo: “Tenho medo de encontrar um homem porque ele poderia me prejudicar” é alterado para “Meu medo é infundado, os homens podem ser amigáveis”, e assim por diante.

A terapia com remédios é a última linha de tratamento para androfobia: estes só oferecem alívio de curto prazo e muitas vezes resultam em efeitos colaterais.

 

comprar livro freud analises de fobias menino hanslivro ansiedade fobias sindrome do panico comprar  medos fobias panico livro comprarcomprar livro tratando fobia panico depressao

 

 

 


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





6 comentários em “Androfobia (Medo de homens): Sintomas, tratamentos, causas

  • 12/09/2016 em 16:16
    Permalink

    Sinto todos os sintomas descritos principalmente aquele sentimento de medo e minha pressao baixa so de ficar perto de um homem, queria muito poder namorar, amar algum dia, mas ja vi q nunca vai acontecer pra mim. Vivi muito tempo com um problema de infancia e pensei q nao tivesse influencia alguma em meu modo de vida e sempre q percebo algo de errado e procuro respostas, termino encontrando o mesmo ponto.

    Resposta
  • 04/08/2017 em 14:20
    Permalink

    Quando criança sofri abusos sexuais por parte de 3 pessoas da minha família. Durante muito tempo isso foi um segredo profundo e motivo de muita vergonha para mim, a única pessoa em quem consegui confiar para contar isso foi meu noivo. Recentemente ele faleceu e agora estou sofrendo muito com síndrome do pânico e fobia de pessoas do sexo oposto. Estou fazendo tratamento com psicóloga e psiquiatra, mas tem dias que perco a esperança de ficar melhor. É horrível!

    Resposta
  • 04/12/2017 em 22:30
    Permalink

    O Meu é bem diferente disso,mas acho que chega perto….Bom tudo começou na Escola,Quando eu fui pro Banheiro,e eu não gosto de encostar na tampa do Vaso,aí eu levanto a tampa…Ai Depois quando eu saí uma das minhas Amigas disse:
    -Ué,Por que você levanta a tampa do Vaso você é…..Ah deixa pra lá!
    Ai ela não terminou a frase,e eu falei pra ela o que ela iria dizer,então eu pensei;Será que ela pensou que eu fosse homem??…E isso ficou na Minha Cabeça,até comecei a chorar quando cheguei em casa….Não contei isso a Ninguém,Sou menina(Óbvio)E tenho 12 anos,Ai depois isso passou,mas esses dias,me vem na Mente “Será que eu sou Realmente Menina?”….E eu fico me Perguntando isso,até chorei,e descobri que isso se chama Disforia de Gênero,só que o Tratamento é Mudar de Sexo,Só que tipo,Eu não quero ser Menino,eu amo ser Menina,E eu não Quero nuncaaaa virar um Menino,Eu gosto do meu Corpo,do Meu Jeito de Ser,e virar menino deve ser bem ruim,então eu tenho muito medo de “Virar um Menino”,Ou Algo do tipo,mas mesmo pensando assim,esses pensamentos ruins ficam na minha Cabeça ;( Se Alguém puder me ajudar sobre isso,agradeço,lembrando eu não Quero virar um Menino,eu me aceito como eu sou que é Uma Menina,mas Algo em mim fala coisas ao contrárias e eu fico Triste ;(

    Resposta
    • 19/12/2017 em 15:19
      Permalink

      Olha isso são pensamentos ruins e destrutivos pra deixar você confusa. Então não acredite nessas vozes, acredite em quem você é. Você é quem Deus fez pra ser e então é assim que você é feliz. Quando vier esses pensamentos, não pare para ficar dando atenção, vai procurar fazer algo que te deixa bem. E se precisar converse com alguém de sua confiança, não tenha vergonha, peça ajuda !!

      Resposta
  • 04/12/2017 em 23:15
    Permalink

    Mas tô bem aliviada agora,pois eu sei que não sou nada disso que estou pensando,porque eu tenho Toc,e o Toc me Causou TOCD,Que é essa coisa de eu achar que sou “Trans” e tal…Mas eu sei que sou Menina e que tudo vai ser resolvido…Eu Espero né….

    Resposta
  • 06/01/2018 em 21:24
    Permalink

    Achei bem interessante esse texto.Infelizmente me sinto assim com relação a eles(homens). Passei por umas coisas durante a infância e desde então vinha mantendo uma distância segura deles. Não consigo confiar neles, conversar normalmente com eles. O problema é que agora comecei a trabalhar e os dois colegas com mesmo cargo que eu são homens. Tenho que passar maior parte do tempo com eles e é extremamente desconfortável e sufocante pra mim. Fui fazer uma entrevista junto com um deles(entrevistar outro homem) em uma sala fechada,minha vontade era de abrir aquela porta e sair correndo. Fiz perguntas redundantes, anotei os dados errados por varias vezes. Minha mente trava, sei lá. Também não consigo simpatizar com eles. Não sei o que dizer por mais que queira conversar. Tem um ex colega de ensino médio que tenta ser meu amigo, mas eu trato ele mal, não é que eu queira, não sei o que é isso. sinto raiva por ele não se afastar.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.