Primeira e Segunda Tópica do Aparelho Psíquico – Resumo | Psicanálise; Freud

Tópicos abordados nesse artigo:

  • a estrutura da primeira e segunda tópica de freud
  • diferença entre a primeira e a segunda topica de freud
  • definição de inconsciente na primera e segunda tópica freudiana
  • definição psicanalítica de consciente, pré-consciente e inconsciente na primira e segunda tópica do aparelho psíquico
  • id, ego e superego

Como os pontos de vista dinâmico e de economia, o ponto de vista topográfico é uma das três principais dimensões da metapsicologia freudiana. Ele introduziu a ideia de que o aparelho mental é composto de diferentes áreas da mente, diferentes “territórios” regidos por diferentes processos.

A ideia de uma topografia mental estava presente no pensamento de Freud tão cedo quanto o “Projeto para uma Psicologia Científica” de 1895 (1950c), onde ele surgiu como uma consequência direta de sua concepção das etapas sucessivas da história de construção do aparelho psíquico.

Primeira tópica do aparelho psíquico na Psicanálise de Freud

Na primeira abordagem topográfica de Freud, três regiões mentais foram distinguidas:

  1. o consciente, o local de ideias que tiveram acesso direto à consciência;
  2. na psicanálise, corresponde à definição de pré-consciente a localização do material suscetível de se tornar consciente facilmente;
  3. na primeira tópica freudiana podemos definir o inconsciente como a localização de tudo o que havia sido reprimido da consciência e se tornou, assim, inacessível a ela.

Esta organização espacial inicial da mente, conhecida como a primeira tópica do aparelho psíquico na teoria psicanalítica (também chamada de “primeira tópica da psicanálise” ou “primeira tópica de Freud“), mais tarde revelou-se inadequada para lidar com o ponto de vista clínico de narcisismo patológico, pois não conseguiu localizar o ego ou a internalização de valores e princípios adquiridos no curso do desenvolvimento do indivíduo.

Segunda tópica do aparelho psíquico na Psicanálise de Freud

Começando com Além do Princípio do Prazer (1920g) e especialmente em O Ego e o Id (1923b), Freud propôs uma nova topografia da personalidade e aparelho mental em termos de id, ego e superego. O inconsciente, por si só não poderia mais ser tratado como um único local na psique, pois havia, de fato, vários reinos inconscientes, e de diferentes tipos. A partir de então, o termo inconsciente foi usado apenas como um qualificador aplicável a processos mentais, independentemente da sua localização topográfica. Uma porção do ego e do superego foram, portanto, ditas inconscientes, enquanto que os componentes da ID não podem tornar-se conscientes sem serem transformados em representações, ficando as suas formas originais inconscientes.

O “Iceberg do Aparelho Psíquico” Primeira tópica: Consciente, Pré-consciente, Inconsciente; Segunda tópica: Id, Ego e Superego. Via Artigos de Psicanálise.

Primeira Tópica X Segunda Tópica | Aparelho Psíquico na Psicanálise de Freud

A segunda tópica não substitui a primeira tópica, no entanto. Em vez disso, manteve-se em uma relação dialética com ela, complicando assim o modelo como um todo. Alguns psicanalistas franceses consideraram que as duas topografias não são meramente construções metapsicológicas, mas também correspondem a modos organizacionais específicos da psique. Diferentes maneiras de funcionamento mental poderiam, assim, ser descritas em termos da primeira ou segunda tópica do aparelho psíquico.


Saiba mais lendo outros textos e assistindo vídeos do nosso canal no Youtube:

 

 

 


Comprando os livros de Freud pelos links abaixo você vai manjar mais de psicanálise e ainda nos ajudar a comprar a paçoca nossa de cada dia (precisamos de energia pra trabalhar) 😉


Referências:

Freud, Sigmund. (1915d). Repressão. SE, 14: 141-158.

Freud, Sigmund.. (1920g). Além do Princípio do Prazer. SE, 18: 1-64.

Freud, Sigmund.. (1923b). O Ego e o ID. SE, 19: 1-66.

Freud, Sigmund.. (1950c [1895]). Projeto para uma Psicologia Científica. SE, 1: 281-387.

Roussillon, René. (1995). La métapsychologie des processus et la transitionnalité. Revue française de psychanalyse, 59, 1351-1519.]

Leitura adicional

Paniagua, Cecilio. (2001). The attraction of topographical technique. International Journal of Psychoanalysis, 82, 671-684.

“Topographical Point of View.” International Dictionary of Psychoanalysis. . Retirado em 03 de Abril de 2017 de Encyclopedia.com: http://www.encyclopedia.com/psychology/dictionaries-thesauruses-pictures-and-press-releases/topographical-point-view




DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.