John B. Watson: Biografia, teorias, Behaviorismo, frases

John B. Watson era um psicólogo pioneiro que desempenhou um papel importante no desenvolvimento do behaviorismo. Watson acreditava que a psicologia deve ser principalmente a ciência do comportamento observável. Ele é lembrado por suas pesquisas sobre o processo de condicionamento, bem como a experiência do pequeno Albert, na qual ele demonstrou que uma criança poderia ser condicionada a temer um estímulo anteriormente neutro. Sua pesquisa também revelou que este medo poderia ser generalizado para outros objetos semelhantes.


Saiba mais sobre John B. Watson nesta breve biografia que fala sobre sua vida, trabalho e teorias.

John B Watson com bebe albert
John B Watson com bebe Albert. Imagem de domínio público.

John B. Watson é mais conhecido por:

  • Behaviorismo
  • Experiência com o pequeno Albert

Nascimento e morte:

  • John B. Watson nasceu 09 de janeiro de 1878.
  • Ele faleceu em 25 de setembro de 1958.

Início da vida de John Watson

John B. Watson cresceu na Carolina do Sul. Embora mais tarde ele se descreveu como um estudante pobre, ele entrou na Universidade Furman com a idade de 16 anos. Depois de se formar cinco anos mais tarde, com um grau de mestre, ele começou a estudar psicologia na Universidade de Chicago. Watson recebeu seu Ph.D. em psicologia em 1903.

A carreira de John Watson

Watson começou a ensinar psicologia na Universidade John Hopkins, em 1908. Em 1913, ele deu uma palestra seminal na Universidade de Columbia intitulada Psicologia como o Behaviorista a vê, que essencialmente detalhou a posição behaviorista.

De acordo com John Watson, a psicologia deve ser a ciência do comportamento observável.

A psicologia como o behaviorista a vê é um ramo experimental puramente objetivo da ciência natural. Seu objetivo teórico é a predição e o controle do comportamento. Introspecção não faz parte essencial de seus métodos, nem o valor científico de seus dados depende da facilidade com que se prestam a interpretação em termos de consciência “, explicou ele (1913).

O Experimento “bebê Albert”

Em seu mais famoso e controverso experimento , conhecido hoje como o experimento de “pequeno Albert” , John Watson e uma assistente graduada chamada Rosalie Rayner condicionaram uma criança pequena a temer um rato branco. Eles realizaram isto emparelhando repetidamente o rato branco com um ruído alto e com susto. Eles também foram capazes de demonstrar que esse medo pode ser generalizado para outras  coisas brancas e objetos peludos. A ética do experimento é muitas vezes criticada hoje, especialmente porque o medo da criança nunca foi descondicionado.

Em 2009, os pesquisadores foram capazes de identificar o bebê Albert como um menino chamado Douglas Merritte. A questão do que aconteceu com a criança tinha intrigado muitos por décadas. Infelizmente, os pesquisadores descobriram que a criança morreu aos seis anos de hidrocefalia, uma condição médica na qual o fluido se acumula dentro do crânio.

Em 2012, os investigadores apresentaram provas de que Merritte sofria de deficiências neurológicas no momento do experimento do bebê Albert e que Watson pode ter conscientemente deturpado o menino como um bebê “saudável” e “normal”.

Deixando a Academia

Watson manteve-se na John Hopkins University até 1920. Ele teve um caso com Rayner, se divorciou de sua primeira esposa e foi, então, pedido pela universidade para renunciar ao seu cargo. Watson se casou mais tarde Rayner e os dois permaneceram juntos até a morte dela em 1935. Depois de deixar sua posição acadêmica, Watson começou a trabalhar para uma agência de publicidade onde permaneceu até se aposentar em 1945.

Durante a última parte de sua vida, as relações já pobres de John Watson com seus filhos cresceram progressivamente piores. Ele passou seus últimos anos vivendo uma vida reclusa em uma fazenda em Connecticut. Pouco antes de sua morte, ele queimou muitos de seus documentos e escritos pessoais inéditos.

Contribuições de John Watson para a psicologia

Watson definiu o cenário para o behaviorismo, que logo passou a dominar a psicologia. Enquanto o behaviorismo começou a perder o seu domínio a partir de 1950, muitos dos conceitos e princípios ainda são amplamente usados hoje. Condicionado e modificação de comportamento ainda são amplamente utilizados em terapia e treinamento comportamental para ajudar os clientes a mudar comportamentos problemáticos e desenvolver novas habilidades.

Conquistas e Prêmios

  • 1915 – Serviu como o presidente da Associação Americana de Psicologia (APA)
  • 1919 – Publicou Psychology From the Standpoint of a Behaviorist
  • 1925 – Publicou Behaviorism
  • 1928 – Publicou Psychological Care of Infant and Child
  • 1957 – Recebeu o prêmio da APA pelas contribuições para a psicologia

Publicações selecionadas por John Watson

Watson, J. B. (1913). Psychology as the behaviorist views it. Psychological Review, 20, pp. 158-177.

Watson, J.B. & Rayner, R. (1920). Conditioned emotional reactions. Journal of Experimental Psychology, 3(1), 1-14.

Frase famosa de John Watson

Deem-me uma dúzia de crianças saudáveis e bem formadas e meu mundo específico para criá-las, e eu me comprometo a escolher uma delas ao acaso e treiná-la para que chegue a ser qualquer tipo de especialista que escolher: médico, advogado, artista, comerciante, e inclusive mendigo ou ladrão, sem levar nem um pouco em conta seus talentos, capacidades, tendências, habilidades, vocação ou a raça de seus antepassados (WATSON, 1930, p. 104).

Por Kendra Cherry


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





2 comentários em “John B. Watson: Biografia, teorias, Behaviorismo, frases

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.