Amaxofobia (Medo de dirigir): Causas, sintomas, tratamentos

Amaxofobia – Medo de dirigir ou estar em veículos

medo-de-dirigir-mulher-carroAmaxofobia ou medo de dirigir pode afetar a vida diária, especialmente desde que muita gente depende dessa atividade para sobreviver. Pode afetar a tal ponto em que a pessoa se recusa a ir às compras, visitar um médico ou mesmo dirigir para o trabalho. Indivíduos com extremo medo de dirigir preferem o transporte público ou pedir carona à amigos ou membros da família. Isso é bom, desde que estas opções estejam disponíveis. No entanto, isso pode não ser o caso, o que afeta a educação do indivíduo, trabalho e outras atividades negativamente.


Existem vários graus de amaxofobia. Alguns indivíduos apenas tem medo de dirigir sobre pontes e estradas, ou determinadas rotas temidas. Alguns são incapazes de passar nos seus exames de direção ou de adquirir uma carteira de habilitação. Alguns até mesmo podem conseguir tirar a habilitação, mas representam um perigo para si, bem como para os outros condutores. Eles podem ter um ataque de pânico enquanto dirigem o carro e congelar a tal ponto em que eles são incapazes de pisar nos freios ou mudar as marchas. Em casos extremos, uma pessoa pode até ter pavor de ser um passageiro no veículo.

Causas do medo de dirigir

Um indivíduo com fobia de dirigir provavelmente teve uma experiência negativa no passado.

  • Ele pode ter sido envolvido em um acidente ou ter testemunhado um particularmente ruim.
  • Ter rigorosos instrutores de direção no momento da aprendizagem também pode levar a amaxofobia.
  • Ter experimentado uma  jornada particularmente perigosa ou assustadora através de neblina, chuva, neve, ou outras condições adversa. Até o susto extremo causado pela aparição de um animal de grande porte  na frente do veículo de repente pode causar essa fobia.
  • Ver pais ansiosos e em pânico enquanto dirigem o carro pode levar uma criança a ter amaxofobia.
  • Brigas de trânsito.
  • Estresse devido a congestionamentos de trânsito; estes podem levar o cérebro a desenvolver pânico / resposta de ansiedade cada vez que um fica atrás do volante.
  • As pessoas propensas a ataques de ansiedade ou distúrbios nervosos são propensas a desenvolver o medo de dirigir.
  • Ouvir ou ler notícias sobre acidentes de trânsito graves ou assistir a filmes que retratam choques de carro violentos podem criar pensamentos negativos sobre a direção de automóveis.

Os sintomas de amaxofobia

Amaxofobia pode levar a vários sintomas que podem ser caracterizadas como emocionais e físicos.

Os sintomas físicos incluem: agitação, tremores, boca seca, rápida frequência cardíaca, respiração superficial, dores no peito, náuseas, mãos suadas etc. Ataque de pânico pode ocorrer cada vez que o indivíduo fica atrás do volante.

Os sintomas emocionais incluem a recusa de dirigir, evitando situações que abrangem condução, se sentir pânico, terror ou extremo pavor apenas pelo pensamento de dirigir. O indivíduo também se sente isolado ou distante da realidade.

Algumas pessoas podem tentar evitar rodovias ou tomar rotas mais longas de modo que eles não tenham que dirigir em estradas perigosas que lhes cause medo. Outros podem entrar em discussões ou brigas com familiares ou usar desculpas quando forçados ou obrigados a dirigir.

Como superar o medo de dirigir

  • Hipnoterapia é uma das terapias mais eficazes para perder medo de dirigir. Ela chega ao fundo do medo, traça os caminhos pelos quais ele se enraizou, e ajuda a fornecer soluções para superar o mesmo.
  • Ficar de frente para o seu medo é uma das melhores maneiras de superar amaxofobia. É importante para reduzir a tensão e estresse de qualquer tipo quando ficar atrás do volante. Imaginar situações ideias, ter pensamentos positivos e visualizar-se calmo e tranquilo dirigindo um carro são algumas maneiras de se conseguir isso. A terapeuta também pode ajudar a reaprender ou ‘desaprender’ coisas negativas que o cérebro ensinou a si mesmo.
  • Falar sobre os medos, ter aulas de direção defensiva, ou aderir a grupos especiais que ajudam a superar essa fobia são alguns outros métodos de lidar com amaxofobia.
  • A terapia cognitivo-comportamental e dessensibilização gradual são algumas outras opções para ajudar a superar esta fobia, como inúmeras outras também.

Existem vários tratamentos para superar amaxofobia, mas é vital escolher um com o qual você está mais confortável em conjunto com o conselho de um psicólogo. Entenda que você não está sozinho, e há muitos como você, que têm lidado com esse problema, que é bem comum. É totalmente possível perder o medo de dirigir definitivamente.

 

 

 

comprar livro freud analises de fobias menino hanslivro ansiedade fobias sindrome do panico comprar  medos fobias panico livro comprarcomprar livro tratando fobia panico depressao

 

 

 


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





4 comentários em “Amaxofobia (Medo de dirigir): Causas, sintomas, tratamentos

  • 06/12/2017 em 14:06
    Permalink

    No texto dis que pessoas com deficiência renal são propensas a desenvolver o medo de dirigir, porque? Qual a ligação, estou muito interessada em entender, por favor.

    Resposta
    • 06/12/2017 em 17:04
      Permalink

      Oi, Lucimara.

      O texto já é relativamente antigo, e acredito que as referências se perderam. Fiz uma pesquisa rápida e não consegui encontrar a relação entre deficiência renal e medo de dirigir, portanto o mais provável é que se tratasse de um erro nosso, que já corrigi.

      Obrigado pelo comentário.

      Resposta
  • 15/02/2018 em 15:09
    Permalink

    CONTATO: (13) 99787-8976 ZAP. Hoje em dia é comum a figura do Personal Trainer, aquele profissional que ajuda pessoalmente e quase que diariamente o cliente a manter sua forma física. Mas o que pouca gente conhece é o serviço de Personal Driver.

    Este é o trabalho realizado pelo instrutor Fábio Vicentini. O curso é voltado para pessoas que tem algum tipo de dificuldade, falta de confiança ou restrição para dirigir.

    O serviço é pioneiro e exclusivo na região metropolitana de São Paulo. As aulas são individuais e o instrutor busca o aluno em casa, no trabalho ou onde ele estiver para todas as atividades.

    No início do curso o instrutor avalia a habilidade do aluno e a partir daí desenvolve o melhor planejamento de trabalho, que inclui noções básicas de dirigir, situações do dia-a-dia e viagens em auto-estradas.

    Ao final do acompanhamento do Personal Driver, o aluno estará totalmente apto a enfrentar o trânsito das maiores metrópoles, bem como realizar grandes viagens com tranqüilidade e segurança.

    É importante lembrar que o aluno precisa ser habilitado e o curso não substitui as aulas obrigatórias e todo o processo para adquirir a habilitação.

    O programa de Personal Driver segue o nome bem à risca. Todas as aulas acontecem no sistema de Delivery Class, no qual o instrutor vai ao encontro do aluno, onde quer que ele esteja. O curso é tão personalizado que é o próprio cliente quem faz o seu horário.

    Para que o curso seja mais produtivo é fundamental que o aluno se sinta à vontade para aprender com naturalidade.

    Além da estrutura diferenciada no sistema de aulas é no próprio carro do aluno.

    Transmitindo sempre calma e tranqüilidade, Fábio Vicentini passa o conteúdo das aulas com clareza e precisão aos alunos. A aprovação até hoje é de 100%.

    O acompanhamento do Personal Driver tem carga de 10 horas-aulas, distribuídas conforme a disponibilidade e necessidade do cliente.

    O curso é dividido em três partes: técnicas básicas de direção, reprodução das situações do dia-a-dia e desenvolvimento de técnicas em estrada.

    Assim como numa avaliação física, Vicentini usa as primeiras aulas para enxergar como está a dirigibilidade do aluno e então fazer uma programação mais adequada a cada um.

    No início o Personal Driver desenvolve o controle dos pedais e a técnica de dirigibilidade do cliente. Estes fatores geram mais controle, segurança e facilitam a condução do veículo em situações comuns, como subidas, retomadas, contorno de curvas, desvios, mudanças de faixas e ultrapassagens.

    Após afiar a técnica para condução do veículo, o aluno passa a simular as situações que encontra no seu dia-a-dia, para se familiarizar e não ser pego de surpresa. Esta consiste em idas ao supermercado, à faculdade, ao shopping ou ao trabalho.

    Preparado para enfrentar o trânsito de uma metrópole, o aluno chega à fase final, que é aplicar seus conhecimentos na estrada.

    Fábio Vicentini está ligado com educação ao volante há mais de 15 anos. Ele iniciou seu trabalho como instrutor em 1996, dando aulas para futuros pilotos de carros e de motos. Neste mesmo ano ele fez parte da equipe de resgate do GP Brasil de Fórmula 1.
    Faz parte do CEOC. Centro de Exelência de Oficiais de Competição reconhecida pela FIA.

    Em 1996 Vicentini iniciou seu trabalho como instrutor de direção defensiva e instrutor de teste driver (função exercida na BMW e na Volvo,GM,BMW,Ford,Kia e em 1998 passou a realizar o xclusivo serviço de Personal Driver.

    Ele também atua como piloto e instrutor de Test Drive, tanto de motocicleta quanto de carros. Atualmente também ministra aulas práticas de pilotagem competitiva na Alpie – Escola de Pilotagem, no autódromo de Interlagos, em São Paulo.

    Contato: (13) 99787-8976.

    Resposta
  • 27/02/2018 em 19:31
    Permalink

    Eu me sinto muito mal quando estou em veículos e não sei oq é , é como se desse uma agonia quando se está olhando para a janela e as árvores passando … Não sei como explicar é tenso é preciso fechar os olhos quando sinto algo assim … Também já senti isso mesmo parado , sem estar em veículos eu ainda não dirijo …

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.