Terapia cognitivo-comportamental para depressão x antidepressivos: Qual deve ser a 1ª opção?

Depressão: uma mudança de mente (Nature):

“A terapia cognitiva, vulgarmente conhecida como terapia cognitivo-comportamental (TCC), destina-se a ajudar as pessoas a identificar e mudar padrões negativos de pensamentos auto-destrutivos. E, embora ela não funcione para todos com depressão, os dados foram acumulandos em seu favor. “TCC é uma das histórias de sucesso claras em psicoterapia”, diz Stefan Hofmann, um psicólogo da Universidade de Boston, em Massachusetts.

cerebro_depressao_antidepressivos_tccPorém, medicamentos antidepressivos são geralmente a primeira linha de tratamento para a depressão. Eles são vistos como uma correção barata e rápida – mas os ensaios clínicos revelam que apenas 22-40% dos pacientes emergem da depressão só com remédios. Embora existam várias abordagens para a psicoterapia, TCC é a mais amplamente estudada; uma meta-análise revelou que, dependendo de como os cientistas medemir os resultados, entre 42% e 66% dos pacientes já não satisfazem os critérios para a depressão após a terapia. …

Pessoas com depressão tendem a ter diferenças detectáveis em dois sistemas cerebrais primários: o córtex pré-frontal, que é responsável por tarefas mentais complexas, tais como auto-controle e planejamento, e o sistema límbico – incluindo a amígdala – que está envolvida no processamento emocional. Em pessoas saudáveis, o córtex pré-frontal pode inibir a atividade da amígdala, mantendo emoções sob controle. Mas exames de imagem mostram que em muitas pessoas com depressão, o córtex pré-frontal parece ser menos ativo. Greg Siegle, um neurocientista da Universidade de Pittsburgh, na Pensilvânia diz: “A terapia cognitiva ensina você a entrar e usar o seu córtex pré-frontal em vez de deixar suas emoções ‘fugirem de você'”

Estudo: Os efeitos das psicoterapias para depressão maior em adultos em remissão, recuperação e melhoria: Uma meta-análise (Journal of Affective Disorders). A partir do Resumo:

  • Discussão: psicoterapia contribui para a melhoria nos pacientes deprimidos, mas a melhora em condições controladas é também considerável.
  • Métodos: Foi realizada uma meta-análise de 92 estudos com 181 condições (134 em psicoterapia e 47 condições de controle) com 6937 pacientes com critérios para transtorno depressivo maior.
  • Resultados: Após o tratamento, 62% dos pacientes não cumpriam critérios para depressão maior nas condições de psicoterapia. No entanto, 43% dos participantes nas condições de controle deixaram de cumprir critérios para depressão maior. Para resposta e remissão, resultados comparáveis foram encontrados, com menos da metade dos pacientes com critérios de resposta e remissão após psicoterapia.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.