Como usar o Sono para Aprendizagem mais Rápida e duradoura

Melhoria de 50% em aprendizagem com esta técnica de sono.

tired student girl with glasses sleeping on the books in the library ** Note: Shallow depth of field

Dormir entre as sessões de estudo poderia ser a chave para uma melhor recordação do que foi estudado, diz nova pesquisa. A técnica ajuda na memória até seis meses depois, os psicólogos descobriram.

Drª Stephanie Mazza, principal autora do estudo, disse:

“Nossos resultados sugerem que a intercalação de sono entre as sessões de prática conduzem a uma dupla vantagem, reduzindo o tempo gasto reaprendendo e assegurando uma retenção muito melhor a longo prazo do que só a prática. Pesquisas anteriores sugeriram que dormir após a aprendizagem é definitivamente uma boa estratégia, mas agora vamos mostrar que dormir entre duas sessões de aprendizagem melhora muito essa estratégia “.

O estudo comparou grupos que estavam aprendendo novas palavras em suaíli. Metade fez duas sessões de aprendizagem em um dia: de manhã e à noite. A outra metade fez as sessões de ambos os lados do sono: à noite e na manhã seguinte. Os resultados mostraram que as pessoas que dormiram entre sessões de aprendizagem aprenderam as palavras mais rápido e com menos esforço.

Drª Mazza disse:

“Memórias que não eram acessíveis explicitamente no início de reaprendizagem pareciam ter sido transformadas pelo sono, de alguma forma. Essa transformação autorizava os sujeitos a re-codificar informações mais rápido e economizar tempo durante a sessão de reaprendizado. ”

Dormir entre a aprendizagem tinha impulsionado a memória em cerca de 50%, quando ambos os grupos foram testados uma semana depois. O efeito foi ainda perceptível quando os participantes foram acompanhados depois de seis meses.

Como o sono melhora a aprendizagem

Sono após a aprendizagem estimula as células do cérebro para fazer conexões com outras células cerebrais. As conexões, chamadas espinhas dendríticas, permitem o fluxo de informações através das sinapses. Os resultados, publicados na prestigiosa revista Science, foram os primeiros a mostrar mudanças físicas no córtex motor resultantes de aprendizagem e sono.


O novo estudo foi publicado na revista Psychological Science  ( Mazza et al., 2016 ).

Artigo via Psyblog





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.