Transtorno Borderline e Transtorno Bipolar podem se misturar

Transtorno de Personalidade Borderline foi assim chamado em meados do século 20 para descrever um distúrbio psiquiátrico pensado para ser beirando a psicose e neurose. Ele também tem sido chamado de “esquizofrenia borderline” e síndrome borderline.

Foi dado um lugar no primeira Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (estamos agora no DSM # 5) no âmbito do diagnóstico de “personalidade emocionalmente instável.” O termo borderline (“limítrofe”) permanece, apesar de pesquisas mostrarem que não é a fronteira de um distúrbio. No entanto, comumente associam ou confundem transtorno de personalidade borderline com transtorno bipolar.

Transtorno de Personalidade Borderline é caracterizado por:

  • relacionamentos instáveis
  • problemas de regular o humor e pensamentos
  • lutas com um senso de self 
  • possível paranoia ou psicose

Algumas destas características também aparecem em transtorno bipolar, por isso, é possível confundir um para o outro.

Com transtorno bipolar você tem:

  • oscilações de humor, embora, geralmente, de uma maneira cíclica, e não de modo irregular, muitas vezes visto em TPB.
  • Outra característica comum é o comportamento de risco. Isto é visto em fases de mania ou hipomania da síndrome borderline, ao passo que pode ocorrer em qualquer ponto do TPB.

transtorno borderline bipolaridadeÉ especialmente difícil de distinguir entre os dois quando há co-ocorrência. Não é incomum um paciente ter vários distúrbios psicológicos simultaneamente. Essa combinação pode vir de várias partes, incluindo transtornos de ansiedade, transtornos de abuso de substâncias, transtornos de humor e transtornos afetivos. Cerca de 20% têm uma combinação de Treanstorno de personalidade borderline e Transtorno Bipolar.

É motivo de debate se os dois simplesmente co-ocorrem dentro do mesmo corpo e mente ou se eles se fundem basicamente um “super-transtorno”. O resultado de ter ambos os transtornos é pior do que ter um só. A probabilidade de tentativa de suicídio é maior.

É por causa dessa complexa relação entre as duas doenças que os investigadores Joanna McDermid e Robert McDermid sugerem em janeiro de 2016 na edição da revista Current Opinion in Psychiatry que os dois transtornos devem ser considerados sob o termo “fragilidade emocional”.

McDermid & McDermid propõe que, da mesma forma, a instância de comorbidade de transtorno bipolar e transtorno de personalidade borderline exige mais do que um tratamento individual para cada um.

O transtorno bipolar é tratado principalmente com medicação. Estabilizadores de humor são usados ​​para ajudar a afastar a depressão e antipsicóticos atípicos são usados ​​para tratar mania. Há outros medicamentos disponíveis e, na maior parte dos casos, uma combinação de medicamentos é necessária para alcançar o resultado desejado.

Atualmente não há medicamentos aprovados pelo FDA (órgão regulador de medicamentos e alimentos nos EUA) para o tratamento de transtorno de personalidade borderline. O tratamento primário é a terapia. Existem diferentes tipos de terapia utilizados com foco em resultados diferentes: terapia cognitivo-comportamental, terapia comportamental dialética e terapia focada no esquema.

Uma vez que os resultados para os pacientes tanto com transtorno bipolar como com transtorno de personalidade borderline tendem a ser piores do que com cada um sozinho, pode ser de fato uma necessidade tratar os distúrbios mais que apenas individualmente.”Fragilidade emocional” daria um nome para o elemento que falta, que poderia ser usado para melhorar a vida das pessoas que vivem com ambos os transtornos em comorbidade. Certamente vale a pena tentar.

Por LaRaeRLaBouff

Crédito da foto:  David Blackwell





3 comentários em “Transtorno Borderline e Transtorno Bipolar podem se misturar

  • 08/11/2017 em 11:05
    Permalink

    Bom dia!
    Fui diagnosticada há 4 anos com depressão, TAG e síndrome do pânico. Embora os remédios surtissem efeito por um curto espaço de tempo, o psiquiatra da época insistia nesse diagnóstico. Após um episódio de mutilação, o qual minha mãe viu pela primeira vez, e tentativa de suicídio, fui ouvir uma segunda opinião médica. Este me diagnosticou há 2 meses com transtorno bipolar e borderline. Agradeço por essa matéria porque me fez entender melhor como de fato minha cabeça funciona. Não estou 100% estável, mas faço terapia, tomos os remédios e escrevo no meu diário de humor a fim de controlar minhas fases maníacas e as depressivas.

    Resposta
  • 21/12/2017 em 16:59
    Permalink

    “O resultado de ter ambos os transtornos é pior do que ter um só”
    Cuida ao colocar juizo de valor pois assim como é algo subjetivo “ser pior ou melhor” portanto não cientifico pode influenciar por sugestionar o leitor.
    No mais, bom texto, bem explicativo… :B

    Resposta
    • 21/12/2017 em 18:07
      Permalink

      “O resultado de ter ambos os transtornos é pior do que ter um só. A probabilidade de tentativa de suicídio é maior.

      A explicação está na frase seguinte. Não há juízo de valor, apenas estatística.

      Muito obrigado pelo comentário 🙂

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.