Como ser mais feliz imediatamente: Mova-se!

Estudo de mais de 10.000 pessoas revela como pessoas mal humoradas podem ser mais felizes hoje.


A chave para ser mais feliz é simplesmente mover-se um pouco mais.

Um pequeno movimento físico extra torna as pessoas consideravelmente mais felizes, segundo uma nova pesquisa.

As atividades que não podem mesmo ser classificadas como exercícios, mas envolvem mover-se um pouco são bastante para fornecer um impulso.

Levantar-se da mesa para caminhar um pouco é um bom exemplo.

O Dr. Jason Rentfrow, um dos autores do artigo, disse:

“Nossos dados mostram que as pessoas felizes são mais ativas em geral.

No entanto, nossas análises também indicaram que os períodos de atividade física levaram a um aumento do humor positivo, independentemente da felicidade inicial dos indivíduos.

Tem havido muitos estudos sobre os efeitos psicológicos positivos do exercício, mas o que descobrimos é que, para ser mais feliz, você não precisa sair e correr uma maratona – tudo o que você realmente tem que fazer é periodicamente praticar uma leve atividade física ao longo do dia. ”

Os resultados vêm de um estudo em que os dados de mais de 10.000 smartphones das pessoas foram analisados.

As pessoas que se moviam mais eram mais felizes e as pessoas eram mais felizes naqueles momentos em que se moviam mais.

A Dra. Gillian Sandstrom, co-autora do estudo, disse:

“A maioria de nós não acompanha todos os nossos movimentos durante o dia.

Uma pessoa pode rastrear se ela foi para uma caminhada ou foi para a academia, mas quando perguntada, a maioria delas provavelmente não se lembra de andar da escrivaninha para a fotocopiadora, ou do carro para a porta do escritório.

A professora Cecilia Mascolo, outra co-autora do estudo, acrescentou:

“Este estudo mostra como a tecnologia móvel realmente pode permitir que os psicólogos sociais executem grandes estudos longitudinais, bem como abrir uma conexão direta e permanente com os usuários para aconselhamento e intervenção.


O estudo foi publicado na revista PLoS ONE ( Lathia et al., 2016 ).

Via Psyblog


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.