Transtornos de Personalidade de Arlequina & Coringa – Psicologia em Esquadrão Suicida

A popularidade de longa data de super-heróis dos quadrinhos é compreensível; eles representam versões ideais de quem gostaríamos de ser. No entanto, o mais recente – e potencialmente ainda mais intrigante – fenômeno da cultura pop tem sido a popularidade dos super-vilões. Por que estamos atraídos para eles? Talvez seja porque eles refletem nossos próprios desejos obscuros, a nossa própria natureza animalesca suprimida com religião, valores culturais, e / ou distração. Este abraço nos vilões é a base para o filme “Esquadrão Suicida” em que vários inimigos do universo DC trabalham para o governo.

coringa-joker-esquadrao-suicida
Fonte: actucine.com

Um dos vilões mais amados dos quadrinhos é o Coringa (inimigo de longa data do Batman). No entanto, mais recentemente, as pessoas têm ficado fascinadas pela Arlequina (Harley Quinn). Aparecendo pela primeira vez na série de TV animada do Batman em um episódio chamado de “Mad Love”, Arlequina finalmente apareceu no Batman em quadrinhos, e em seguida, em sua própria história. Ela é mais ou menos assistente e namorada do Coringa. Sua dinâmica de relacionamento é, em uma palavra, abusiva. Harley é constante e consistentemente manipulada psicologicamente e abusada fisicamente pelo Coringa.

É bem claro que esses dois personagens exibem sinais e sintomas de transtornos de personalidade. Especificamente, o Coringa parece ser um exemplo clássico de transtorno de personalidade antissocial, enquanto Arlequina caberia no transtorno de personalidade histriônica.

Os sintomas de transtornos de personalidade podem ser encontrados no DSM-V, o livro que detalha todas as doenças mentais.

Transtorno de personalidade antissocial é caracterizada pelos seguintes sintomas:

– Falta de obediência às leis e normas
– Mentira, engano e manipulação para diversão ou lucro
– comportamento impulsivo
– Irritabilidade e agressividade, incluindo agredir os outros
– flagrante desrespeito pela segurança de si e dos outros
– Padrão de irresponsabilidade
– Falta de remorso

arlequina-harley-queen-esquadrao-suicida
Fonte: hdqwalls.com

Qualquer pessoa que tenha visto o Coringa em qualquer descrição – história em quadrinhos, TV ou filme – pode ver quão provável é que ele seria diagnosticado como tendo esta desordem. Na verdade, Arlequina encontra pela primeira vez o Coringa quando ele é um paciente no Arkham Asylum e a ela é atribuído seu caso. Sim, Arlqeuina começa como um jovem estagiária em Arkham (seu nome verdadeiro é Harleen Quinzel). O Coringajoga com as emoções dela, fingindo ser vítima de abuso na infância, fazendo-a sentir-se especial, tudo para que ela acabe por ajudá-lo a sair.

Enquanto ela vai, inevitavelmente, se tornar sua “namorada” e assistente, Arlequina não parece ter o transtorno de personalidade antissocial. Em vez disso, sua personagem está mais perto dos sintomas de Transtorno de personalidade histriônica. Esses sintomas são:

– Ser paqueradora ou sedutora
– Querer ser o centro das atenções
– Usar roupas provocantes (para as mulheres: blusas decotadas, saias curtas)
– Discurso raso, impressionista
– Apresentação pessoal dramática e excessivamente emocional
– Ser sugestionável por outros (crédulos)
– Superestima a intimidade de suas relações sociais

Novamente, é quase como se o personagem de Harley fosse escrito para exemplificar esta lista de características. Todo o seu relacionamento com o Joker é baseado em sua vulnerabilidade e manipulação, e sua paixão por ele quase imediata. Sua voz (pelo menos na série animada do Batman) é aguda e imatura, como sua linguagem.

Será interessante ver se a Arlequina será alterada para o próximo filme “Esquadrão Suicida”. Será que ela vai ser mostrada como inteligente ou crédula? Como feminista, ou como um objeto sexual? Nos quadrinhos, o personagem de Harley evolui ao longo do tempo. Ela até larga o Coringa e tem uma relação bissexual com Poison Ivy (Hera Venenosa).


Por Wind Goodfriend, Ph.D.

Psicóloga social da Universidade de Buena Vista, com experiência em investigação sobre os estereótipos e sobre relacionamentos românticos.


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium


4 comentários

  1. Sávio Christi. Responder

    Bem, o Coringa já foi chamado de louco, de psicopata e de retardado, mas ele só pode ser uma dessas três coisas e eu mesmo concluí que é um psicopata!

    Pesquisei bastante sobre os três transtornos para escrever um roteiro de longa-metragem de comédia dramática romântica, O Desespero de um Solteiro!, que tem a seguinte sinopse: Para provar aos colegas de trabalho e a si mesmo que não é um triplo doente mental, um escriturário “precisa” conquistar uma fotógrafa!

    O louco age pelo excesso de emoções e não tem consciência do que faz e maldade, o psicopata age pela ausência de emoções e tem plena consciência do que faz e maldade e o retardado tem lenta evolução mental, é por isso que o Coringa não pode ser as três coisas ao mesmo tempo!

    A propósito: no filme Batman – O Cavaleiro das Trevas e no episódio Triunvirato do Terror! da série de TV Batman: Os Bravos e Destemidos, o Coringa é chamado de louco e de psicopata ao mesmo tempo, só que ele é apenas psicopata!

  2. edu Responder

    eu conheço um cara que é igual ao coringa é tanto que e faz tudo isso um psicopata resume ele, eles tendem a fazer mal a todos e culpar os outros por suas ações, sente prazer em ser sádico não tem medo de nada e não sentem remorço por nada nem ninguem, costuman viver como parasitas para obter vantagem em tudo são manipuladores dissimulados verdadeiros falsos ,possessivos , se você conhece alguem assim se afaste o mais rapido posssivel principalmente as mulheres que se relacionam com esses tipos de homens por que resultado sempre é o pior acabam sendo mortas por esses canalhas

  3. Garoto de Outro Planeta Responder

    Eu acredito que Arlequina seja borderline. Existem pesquisas científicas que demonstram que existe uma atração forte entre borderlines e psicopatas.

    Borderlines se atraem por psicopatas por eles terem uma baixa reatividade aos padrões de comportamento de borderlines e psicopatas se atraem por borderlines por serem pessoas que eles conseguem manipular e utilizar com muita facilidade.

    Não percebo a Arlequina como alguém que busca ser o centro das atenções.

    Mas personagens de quadrinhos não são pessoas reais, então muitas vezes a personalidade deles muda no decorrer dos anos de acordo com os roteiristas, então é complicado diagnosticas.

    Texto sobre esse assunto tbm: https://relatosdeumgarotodeoutroplaneta.blogspot.com/2019/04/transtornos-mentais-na-serie-batman.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.