Exposição à natureza reduz o comportamento agressivo entre os presos, segundo nova experiência

Pesquisadores identificaram uma intervenção simples que pode ajudar a reduzir os níveis de violência em prisões de segurança máxima. Os presos que viram vídeos de natureza mostraram redução dos níveis de agressão e eram menos propensos a ser punidos do que aqueles em celas semelhantes, de acordo com a pesquisa apresentada na 124ª convenção anual da Associação de Psicologia Americana (APA).


gato-dormindo

Nós precisamos da natureza para o nosso bem-estar físico e psicológico“, disse a psicoterapeuta clínica Patricia H. Hasbach, PhD, que apresentou a pesquisa. “Ainda que o contato direto com a natureza real seja mais eficaz, estudos têm mostrado que mesmo a exposição indireta a natureza pode proporcionar um alívio temporário do estresse psicológico na vida diária.”

Hasbach e seus colegas queriam ver se este efeito funcionaria em prisões de segurança máxima. Eles estudaram um bloco de celas no The Snake River Correctional Institution em Oregon que abrigava 48 detentos. A metade deles foram fornecidos vídeos de natureza para ver durante o seu tempo de recreação coberta programada (três a quatro vezes por semana ao longo de um ano). O conteúdo incluía imagens de diversos biomas (por exemplo, oceano, floresta, rios), cenas de aquário, uma lareira, a Terra vista do espaço e nuvens. À outra metade não foi oferecida a chance de ver os vídeos.

“Levantamentos internos e entrevistas com os presos sugeriram que as emoções negativas e comportamentos como agressão, angústia, irritabilidade e nervosismo foram reduzidos após a visualização de vídeos e isso durou várias horas pós-visualização”, disse Hasbach.

O pessoal da prisão também informou por meio de entrevistas e pesquisas por escrito de que a visualização dos vídeos de natureza parece ser uma forma positiva para reduzir o comportamento violento.

Ao longo do ano estudado, os prisioneiros que viram os vídeos tinham menos referências disciplinares do que aqueles que não o fizeram. A intervenção foi considerada tão bem sucedida que já está sendo usada em outras áreas da prisão. A equipe da prisão também está usando os vídeos como uma intervenção alvo quando vêem sinais de que um preso pode estar prestes a agir fora das regras.

“Descobrimos que os presos que assistiram os vídeos de natureza cometeram 26% menos infrações violentas”, disse Hasbach. “Isto é equivalente a menos 13 incidentes violentos ao longo do ano, uma redução substancial, uma vez que quase todos esses eventos resultam em lesões de presos ou funcionários.”

Esta experiência pode servir de modelo para outros estabelecimentos prisionais para ajudar a limitar o estresse, a fadiga mental, violência e outros comportamentos negativos entre suas populações, de acordo com Hasbach.


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.