Esquizofrenia Residual

Esquizofrenia residual é um subtipo de esquizofrenia marcado pela presença de sintomas “negativos” (embotamento afetivo, falta de auto-cuidado, poucas habilidades sociais, comunicação verbal e não-verbal pobres), mas uma ausência dos sintomas mais graves “positivos”, como alucinações e delírios.  Alucinações e delírios ainda podem estar presente em algum grau para se qualificar como esquizofrenia residual, mas eles devem ser muito reduzidos em termos de gravidade.


Para ser diagnosticado com esquizofrenia residual o paciente deve não ter tido nenhum sintoma “positivo” (ou tê-los de uma forma muito suave) durante pelo menos um ano. O paciente deve ainda apresentar os sintomas “negativos” típicos da esquizofrenia. Deve haver uma ausência de quaisquer outras explicações médicas para seus sintomas, como demência ou depressão maior.

Esquizofrenia residual pode ser um período de transição de esquizofrenia desenvolvida até a remissão, ou pode continuar a ser uma condição estável por anos.


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.