Pensamento Crítico é mais importante que QI para tomar boas decisões na vida

Sobre pessoas com QI modesto que se dão bem na vida e gênios que fazem péssimas escolhas

Por  Alex Fradera

Para levar uma boa vida, precisamos tomar boas decisões: gerir os nossos assuntos de saúde e financeiros, investir em relações apropriadas, e evitar lapsos graves como cair em fraudes online. O que nos equipa para fazer isso? Um candidato é o QI: afinal de contas, as pessoas com maior pontuação em testes de inteligência tendem a continuar a fazer melhor academicamente e em suas carreiras. Mas muitos de nós conhecemos titãs intelectuais que ainda fazem graves erros de julgamento em suas vidas. Inteligência de livros não necessariamente te torna inteligente na vida, e um novo artigo na revista Thinking Skills and Creativity examina a utilidade do QI na navegação pela existência, e como outra habilidade mental pode obscurecê-lo.

Leia também:

Considerando que QI é – grosseiramente falando – uma medida da potência mental que temos para lidar com conteúdo abstrato, alguns pesquisadores dizem que “pensamento crítico” – a capacidade de fazer julgamentos desapaixonadamente sem saltar a conclusões falsas – é uma habilidade separada.

Para saber se a capacidade de pensamento crítico pode ser importante para os resultados da vida real, talvez até mais do que o QI, Heather Butler da Universidade Estadual da Califórnia, e seus colegas pediram a 244 participantes – uma mistura de estudantes e adultos recrutados online – para completar os testes de  QI e habilidades de pensamento crítico.

O teste de inteligência foi bastante normal e coberto de questões sobre memória, processamento visual e raciocínio quantitativo. A avaliação do pensamento crítico envolvia que os participantes avaliassem cursos de ação em cenários hipotéticos e também considerava a relevância da informação contextual que pode ter uma influência sobre as decisões.

Por exemplo, uma pergunta típica de teste de pensamento crítico pode exigir aos participantes explicar se eles gostariam que a pré-escola fosse obrigatória para todas as crianças se a pesquisa mostrou que as crianças que frequentam a pré-escola são mais propensas a se destacar na escola (observe que esta questão específica não foi usada no teste). Pensamento crítico de sucesso inclui reconhecimento de que a correlação não é causalidade e refletir sobre outras explicações possíveis, e classificar como valiosas mais informações, como a disparidade de renda entre os pais que enviam seus filhos à pré-escola e outros pais.

De acordo com a investigação anterior, pensamento crítico está correlacionado com QI moderadamente (0,38), sugerindo alguma sobreposição, mas que cada um dos testes mede algo distinto.

Os pesquisadores estavam especialmente interessados em saber como essas medidas se correlacionavam com pontuações em um inventário de resultados do mundo real, em que os participantes indicaram se eles tinham experimentado eventos que vão desde suavemente ruins (por exemplo, ser multados por entregar atrasado um dvd na locadora) para os mais graves (por exemplo, a aquisição de uma doença sexualmente transmitida). Evitar esses tipos de experiências dá uma medida indireta da tomada de decisão eficaz, e os dados mostraram que indivíduos com QI mais alto pontuaram bem. No entanto, alta pontuação em pensamento crítico foi ainda mais fortemente associada com esses resultados no mundo real (mesmo depois de desconsiderar QI).

Portanto, é possível ter um QI modesto e navegar pela vida com sabedoria, ou ter um QI alto e fazer escolhas que deixam seus pares balançando a cabeça. É uma questão de pensamento crítico.

E isso é algo que pode ser trabalhado. O pensamento crítico não é sobre recursos mentais tanto quanto uma maneira de olhar o mundo e um kit de ferramentas para usar nos momentos relevantes. Mas, infelizmente, como uma sociedade, nós não damos suficiente atenção à forma de promover essas habilidades.

Alguns pesquisadores são muito pessimistas sobre os benefícios da educação formal para o pensamento crítico, e apesar de uma recente meta-análise sugerir que frequentar a faculdade produz melhorias no pensamento crítico, não pôde identificar de onde as habilidades haviam vindo. Deve ser possível projetar melhores maneiras de transmitir e aprimorar essas habilidades, competências críticas para as decisões que compõem o material de nossas vidas.

Leia também


Via The British Psychological Society: Research Digest



DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.