Depressão no trabalho custa US$246 bilhões por ano em 8 países

Novos dados mostram que a depressão no local de trabalho é uma questão importante em diferentes culturas e economias, com consequências “amplas e devastadoras” para milhares de organizações em todo o mundo.

fatos sobre depressao

Em um estudo de oito países, pesquisadores da London School of Economics and Political Science (LSE) dizem que a depressão custa coletivamente às nações do Brasil, Canadá, China, Japão, Coreia, México, África do Sul e EUA mais de US$ 246 bilhões por ano.

Dados de uma pesquisa de 8000 funcionários em todos estes países revela que os trabalhadores mais altamente qualificados, em particular, têm um impacto mais negativo se eles permanecem no trabalho, enquanto deprimidos. Isso é porque eles são mais propensos a gerenciar os outros e as repercussões fazem-se sentir “linha abaixo”.

Este é o primeiro estudo do tipo no mundo a analisar o impacto da depressão sobre a produtividade no local de trabalho através de uma série de países que diferem culturalmente e economicamente.

Os resultados seguem na esteira de um grande estudo europeu sobre a depressão no local de trabalho pelos mesmos pesquisadores em março de 2014, sinalizando uma necessidade urgente dos empregadores adotarem uma abordagem mais pró-ativa para combater questões de saúde mental.

A pesquisadora chefe, Sara Evans-Lacko diz que os enormes custos de depressão devido à ausência e perda de produtividade vão aumentar, a menos que governos e empregadores tornem esse problema uma prioridade.


Definições importantes:

  • Presenteísmo é o nome dado ao fenômeno de se estar de corpo presente no ambiente de trabalho, mas, por vários motivos o profissional não tem produtividade. Ou seja, o indivíduo está fisicamente presente mas a mente não está. Wikipedia
  • O absenteísmo (português brasileiro) ou absentismo/absenteísmo (português europeu) é um padrão habitual de ausências no processo de trabalho, dever ou obrigação, seja por falta ou atraso, devido a algum motivo interveniente. É usado também para designar a soma dos períodos de ausência de um funcionário de seu ambiente de trabalho. Wikipedia

 

O estudo, publicado online na Social Psychiatry and Psychiatric Epidemiology, também revela:

  • Em média, 1% do PIB de um país é perdido devido aos trabalhadores com depressão trabalhando enquanto doentes. O custo coletivo para os oito países é de £ 175 bilhões;
  • O absentismo é mais elevado do que o presenteísmo no Japão devido ao medo de perder o emprego, se sua depressão é revelada no trabalho para as pessoas;
  • Os custos de funcionários que frequentam trabalho ao lidar com a depressão são 5-10 vezes mais elevados do que aqueles que se afastam do trabalho para se recuperar da depressão;
  • EUA ($ 84.700.000.000) e Brasil ($ 63.300.000.000) experimentam as maiores perdas de produtividade devido ao presenteísmo;
  • Menos de 10% dos entrevistados na China (6,4%) e Coreia do Sul (7,4%) relataram ter um diagnóstico prévio de depressão em comparação com mais de 20% no Canadá, 22,7% nos EUA e 25,6% na África do Sul;
  • Países asiáticos relatam menores perdas de produtividade devido a depressão, atribuída em parte à relutância cultural para divulgar problemas de saúde mental, de modo que os valores reais (acima) relativos à China e Coreia do Sul são suscetíveis de serem superiores;
  • Japão, no entanto, tem os maiores custos agregados associados com os empregados dando um tempo no trabalho para a depressão, com 22% (custando US $ 14 bilhões) de pessoas que tiram folga de 21 ou mais dias.
  • A prevalência de depressão na África do Sul (25,6%) é quase duas vezes superior à média (15,7%) relatada entre os oito países;
  • A depressão é a principal causa de incapacidade em todo o mundo, afetando até 350 milhões de pessoas, segundo a Organização Mundial de Saúde.

“Estes resultados sugerem que a depressão é uma questão que merece atenção global, independentemente do desenvolvimento econômico de um país, a renda ou a cultura nacional”, diz Evans-Lacko. “O crescimento de todo o mundo também sugere que a escala do problema de doença mental é suscetível de aumentar. (…) Os dados fornecem evidências convincentes para programas globais de trabalho a serem implementados para lidar com questões de saúde mental”, acrescenta.

“As intervenções que apoiam os funcionários com depressão precisam ser desenvolvidas, adaptadas, implementadas e avaliadas em todos os países para mitigar os custos elevados de depressão no local de trabalho.”


Referências:

Global patterns of workplace productivity for people with depression: absenteeism and presenteeism costs across eight diverse countries, S. Evans-Lacko , M. Knapp, Social Psychiatry and Psychiatric Epidemiology, doi:10.1007/s00127-016-1278-4, published online 26 September 2016.

Via Medical News Today


DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D

CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/






SEJA PSICOATIVO TAMBÉM E COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.