Transtorno dismórfico corporal: Sintomas e tratamento

Transtorno Dismórfico Corporal: Sintomas, diagnóstico e tratamentos

Primeiro post:► O que é Transtorno dismórfico corporal e quais são as causas


dismorfofobia dismorfia corporal

Os sintomas do transtorno dismórfico corporal

O componente central do transtorno dismórfico corporal é uma preocupação com um imaginado defeito na aparência ou uma reação excessiva a uma ligeira falha física. É uma doença crônica que pode crescer e reduzir em intensidade, e pode mudar de uma parte do corpo para outra.

As áreas comuns de imperfeições percebidas envolvem a pele ( acne , oleosidade, rugas), face (excesso de pelos faciais), nariz, boca, dentes, calvície , seios ou genitais.

Comportamentos típicos associados com transtorno dismórfico corporal incluem:

  • A preocupação com a aparência física com autoconsciência extrema
  • Obsessivamente tocar, pegar, medir ou olhar para o defeito
  • Excessivamente ler ou pesquisar o defeito
  • Negligenciar os aspectos mais importantes da vida, como trabalho, família, saúde e bem-estar
  • Fixação em ou evitação de espelhos – compulsiva verificação no espelho, olhando nas portas reflexivas, janelas e outras superfícies refletoras, ou remoção de todos os espelhos em casa
  • Indo a extremos para esconder o defeito usando itens como perucas, chapéus e maquiagem
  • Repetidos procedimentos dermatológicos ou cosméticos para as correções do defeito.

Indivíduos com diagnóstico de transtorno dismórfico corporal pensam sobre suas falhas na aparência percebidas por uma média de 3-8 horas por dia, e tem controle apenas limitado sobre esses pensamentos. Tentar explicar que o defeito físico é inexistente ou menor será inútil; indivíduos com transtorno dismórfico corporal continuarão a agonizar sobre suas falhas percebidas.

Testes e diagnóstico de transtorno dismórfico corporal

Prestadores de serviços médicos muitas vezes ignoram o diagnóstico de TDC devido tanto à falta de conhecimento da doença e da relutância do indivíduo para divulgar suas preocupações devido à vergonha.

Apesar de transtorno dismórfico corporal ser uma condição psicológica/psiquiátrica, muito poucas pessoas buscam ajuda porque consideram o seu problema como físico, e não psicológico. Em vez disso, as pessoas com TCC muitas vezes procuram o tratamento em odontologia, dermatologistas, esteticistas e cirurgiões plásticos.

Como transtorno dismórfico corporal é diagnosticado apenas através da história clínica e entrevista, é importante que os pacientes submetidos a procedimentos cosméticos sejam selecionados através de um questionário.

O tratamento para o transtorno dismórfico corporal

Tratamento de transtorno dismórfico corporal geralmente inclui terapia cognitivo-comportamental (TCC), medicação e aconselhamento comportamental.

Terapia cognitivo-comportamental (TCC): ajuda as pessoas a reduzir comportamentos problemáticos por desafiar suas crenças e pensamentos negativos. Ajuda a ter uma visão e parar pensamentos negativos automáticos enquanto aprende a se autoavaliar de uma forma mais realista e positiva. Indivíduos também podem aprender maneiras saudáveis de lidar com impulsos ou rituais, como a verificação no espelho.

Medicação: antidepressivos SSRI, tais como fluoxetina, fluvoxamina e citalopram têm demonstrado sucesso no tratamento de TDC.

Conclusões

Transtorno dismórfico corporal é um transtorno psicológico grave, que é exibido como preocupação excessiva com a aparência por um defeito físico pequeno ou imaginado. Como é sub-reconhecida na prática clínica, os indivíduos com TDC muitas vezes não são devidamente diagnosticados e tratados, e têm uma má qualidade de vida.

Prestadores de serviços médicos, psicólogos e psiquiatras, familiares e professores de indivíduos de alto risco precisam estar cientes da condição e encaminhar as pessoas para a avaliação da saúde mental, conforme necessário. Também são necessárias medidas para evitar procedimentos cirúrgicos desnecessários nesses indivíduos.

Como transtorno dismórfico corporal é uma condição crônica, os indivíduos necessitam de tratamento de saúde mental a longo prazo e consultas de acompanhamento. Ao longo do tempo, os indivíduos com TDC alcançam os melhores resultados quando tratados por uma equipe de saúde médica e mental consistente usando uma combinação de medicamentos e terapia comportamental.


Referências

Recognizing body dysmorphic disorder (dysmorphophobia), Anukriti Varma and Rajesh Rastogi, Journal of Cutaneous and Aesthetic Surgery, doi:10.4103/0974-2077.167279, published 2015, abstract.

Phillips, KA (1998), The broken mirror: understanding and treating body dysmorphic disorder, New York: Oxford University Press.

Body dysmorphic disorder: recognizing and treating imagined ugliness, KA Phillips, World Psychiatry, published February 2004.

Body dysmorphic disorder in orthodontic patients, Bhagyalakshmi Avinash et al., World Journal of Dentistry, doi: 10.5005/jp-journals-10015-1202, published 2013, abstract.

Body dysmorphic disorder: some key issues for DSM-V, KA Phillips et al., Depression and Anxiety, doi: 10.1002/da.20709, published June 2010, abstract.


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





3 comentários em “Transtorno dismórfico corporal: Sintomas e tratamento

  • 25/11/2016 em 13:51
    Permalink

    Olá. Tenho uma obsessão pela aparência. Penso em realizar várias cirurgias, sempre faço procedimentos estéticos, dermatológicos. Nunca fico satisfeita. As pessoas à minha volta, sempre falam que sou bonita, que tenho um corpo bonito. Mas eu me vejo magra. Muito magra, e não gostaria de ser, pois o padrão brasileiro é cintura e quadris largos. Como não tenho, me acho horrível. Não gosto de nada em mim, sempre tenho relacionamentos perturbadores por conta do meu ciúme doentio. Evito festas, evito sair, e deixo de ir em muitos lugares que gostaria por conta disso. Não vou em praias e nem clubes. Sofro muito com isso. Penso na aparência quase 24 horas por dia. Queria muito ajuda, pois, já tenho 31 anos e tenho esse problema desde a adolescência.

    Resposta
    • 26/01/2017 em 09:46
      Permalink

      Olá eu também sofro com o mesmo problema. Já cheguei a ter ataque de pânico por estar em público. Após fazer uma cirurgia plástica e continuar enxergando o problema, resolvi buscar ajuda psiquiátrica. Fui diagnosticado com transtorno dismorfico.
      Estou fazendo o tratamento com antidepressivos e antisioliticos, além do acompanhamento semanal com uma psicóloga.
      É difícil aceitar que seu problema não é físico e sim uma visão pessimista que tem de si mesmo, mas é necessário coragem para enfrentar esse problema.

      Resposta
  • 29/10/2017 em 07:22
    Permalink

    Olá,tambem sofro disso também,sou obsessiva por meu rosto,eu não gosto do meu rosto por isso uso maquiagem,quando eu uso eu me sinto bem,mas quando tenho que lavar o rosto que me olho natural fico raivosa já quebrei um espelho pois fico irritado as vezes me corto por isso!!Quando alguém diz que sou bonita,penso logo que a pessoa esta me zoando de mim.As vezes fico deitada na cama querendo morrer pensando que ninguém vai gostar de mim,que sou uma aberração!!! não tenho coragem de contar para ninguém pois penso que todos vão achar que isso é frescura ou algo do tipo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.