Iatrofobia (Medo de médico): Causas, sintomas, tratamentos

Iatrofobia medo de medico
“Como anda a próstata, seu Zé?”

Iatrofobia ou o medo de médicos é tipo de fobia que tem como principais focos um sangue, agulha e machucados. É bastante comum em crianças pequenas, embora muitos adultos também sofram com isso. A palavra iatrofobia é derivada de “Iatros” que é termo grego para ‘curador’ e Phobos, que significa “medo ou temor profundo”. Outro termo dado a este transtorno de ansiedade (embora na sua forma relativamente menos grave) é a “síndrome do jaleco branco“, ou “Hipertensão do Jaleco Branco”, também conhecida como “hipertensão de consultório”.

Pacientes que sofrem de iatrofobia tendem a evitar consultas ao médico, não importa o quanto eles estejam sofrendo. (Eles preferem sofrer com dor/doença do que procurar ajuda profissional). Muitos têm medo de tomar suas vacinas, ou ir ao laboratório para exames de sangue de rotina. Quando encontram a coragem para ver um médico, têm um ataque de pânico com aumento da pressão arterial, respiração rápida, náuseas ou outro desconforto gastrointestinal.

Causas de iatrofobia ou o medo de médicos

A maioria dos casos de iatrofobia ocorre na infância, embora não seja incomum adultos virem a ter medo de visitar o médico também.

  • Os médicos estão associados com agulhas ou vacinas e tendem a dar “remédios amargos”.
  • Os médicos normalmente trabalham em hospitais e outros lugares associados com trauma, acidentes, morte, etc. Como uma criança, o doente pode ter experimentado um incidente negativo ou traumático que pode ter causado a iatrofobia.
  • Muitos indivíduos iatrofóbicos também têm dificuldade para obedecer à autoridade. Isso faz com quem tem a fobia não goste ou tema médicos.
  • Alcoólicos ou toxicodependentes temem médicos porque acreditam que eles irão obrigá-los a confrontar tais questões.
  • A confiança dos pacientes nos médicos também está em declínio. Uma pesquisa recente mostrou que quase 40% dos pacientes nos Estados Unidos acreditam que os médicos de hoje não se preocupam com o bem-estar do paciente.
  • Filmes de médicos, notícias sobre cirurgias mal-feitas e erros cirúrgicos (esquecer tesoura dentro do corpo do paciente, por exemplo) ou más práticas médicas também podem incutir imagens negativas que levam ao medo de médicos.

Os sintomas da iatrofobia

Pacientes que sofrem de iatrofobia são capazes de falar facilmente na frente de mil de pessoas com confiança, mas, quando confrontados com uma visita a um médico, eles se agitam, tremem ou são incapazes de falar coerentemente. Alguns outros sintomas físicos de iatrofobia incluem:

  • Tremedeira, tensão muscular
  • Ter náuseas ou sentir vontade de vomitar
  • As crianças tentam correr, gritar, chorar ou fugir
  • Fóbicos muitas vezes adiam os exames médicos de rotina e mantem o adiamento
  • Eles têm pressão arterial normal em casa, mas tendem a ter níveis levantados ou hipertensão no hospital
  • Muitos fóbicos temem doenças e lesões (ou se transformam em um hipocondríacos) e se preocupam com as menores tosses ou resfriados, pelo fato de que podem precisar de tratamento médico.

Iatrofobia é freqüentemente associada com odontofobia – o medo de dentistas. Ambos podem ocorrer ao mesmo tempo em um indivíduo.

Tratamentos para perder medo de médicos

Tratamento e superação de iatrofobia é difícil muitas vezes, pois a maioria dos indivíduos se recusam a visitar o médico, para começar.

Felizmente, muitos pacientes têm visto resultados positivos pela respiração profunda, quando confrontados com uma visita a um médico. Ela ajuda a lembrar-se de que o médico está lá para ajudar. Visitar um médico pode aumentar a sua ansiedade temporariamente, mas é vital procurar ajuda médica ao invés de piorar a condição que pode se transformar em algo mais complicado.

Discutir a fobia com o médico também ajuda. Fóbicos devem dizer-lhes que parte do exame está causando sua ansiedade. Por exemplo, se você não gosta do médico tocando seu pescoço ao examinar a sua tireoide, diga isso. A maioria dos médicos vai ser gentil e tentar tranquilizá-lo e ajudá-lo a relaxar.

Também ajuda se o médico puder visitar o fóbico em casa ou em um ambiente familiar, em vez de conduzir o exame em um hospital ou clínica intimidante. (Hoje, muitos médicos também dão conselhos sobre por telefone ou a Internet).

Uma combinação de medicamentos e psicoterapia também são métodos comprovados de tratamento para perder medo de médicos. Ouvir música calmante ou assistir televisão durante o exame também é uma forma que pode dar resultados favoráveis ao lidar com iatrofobia.

 

comprar livro freud analises de fobias menino hanslivro ansiedade fobias sindrome do panico comprar  medos fobias panico livro comprarcomprar livro tratando fobia panico depressao

 

 

 




DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

5 comentários em “Iatrofobia (Medo de médico): Causas, sintomas, tratamentos

  • Pingback: Odontofobia (Medo de dentista): Causas, sintomas, tratamentos - Psicoativo

  • Pingback: Anatidaefobia (Medo de patos): Causas, sintomas, tratamentos - Psicoativo

  • 01/02/2017 em 23:10
    Permalink

    Depois de mais de trinta anos sofrendo, eu me autodiagnostiquei com iatrofobia.

    Achei que o artigo trata a questão bastabte leviana pois deixa passar a impressão de que se trata apenas de um simples medo ou antipatia pelo profissional de medicina.

    A fobia entretanto é muito mais do que isso.
    Eu percebo que posso falar sob o aspecto lógico da saúde, entendo quando um sintoma em geral requer tratamento médico, sei que uma injeção ou aplicação de vacina não dói mais que uma picada de inseto.
    Entretanto, quando tenho que enfrentar a situação, sou tomada por uma crise de ansiedade. Tenho picos de adrenalina, ou minha pressão despenca, fico pálida, suo gelado. Sinto formigamento nas mãos e náusea. Já vomitei durante um exame de sangue, já desmaiei ao fazer um raio-x. Chorava desesperada e tive que ser segurada para fazer uma vacina aos 32 anos.
    Durante todo o processo, meu racional está íntegro, falo para mim mesma que não há dor nem nada. Eu entendo que tudo está bem e racionalmente me sinto tranquila. Não tenho medo de morrer nem nada. Simplesmente tenho essas reações por algo completamente inconsciente.
    Não tenho nada no meu passado que eu lembre que possa ter sido gatilho para o problema. Mas agendar consultas, exames, tratamentos com injeção, ouvir relatos específicos de tratamento, entre outras situações me causam ansiedade e elevado nível de estresse.
    Como consequência, mesmo inconsciente, eu me boicoto nos tratamentos de saúde, postergo consultas por qualquer motivo, as vezes nem volto para o retorno de consulta após exames.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.