Kurt Lewin: Vida, Obra e Teorias (Biografia resumida)

Tópicos:

  • Biografia resumida de Kurt Lewin
  • Seu trabalho em várias universidades
  • A morte
  • Um psicólogo tímido que adorava dinâmicas de grupos
  • Teoria de campo
  • Espaço vital
  • Motivação
  • Efeito Zeigarnik
  • Frases de Kurt Lewin

Biografia de Kurt Lewin resumida

Quem foi Kurt Lewin?


Kurt Lewin foi um psicólogo de origem alemã, naturalizado norte-americano para fugir do nazismo.

É considerado o fundador da moderna Psicossociologia Experimental. As experiências que levou a cabo mostraram que a conduta do indivíduo varia de acordo com o meio em que se encontra inserido.

Ao criar em 1935 uma Teoria Dinâmica da Personalidade, demonstrou que a personalidade apenas pode ser definida em situação social – segundo Kurt Lewin, o indivíduo e o meio em que está integrado fazem parte de um sistema único, proposta de sua famosa teoria do campo.

Vida e trabalho

Kurt Lewin nasceu em 9 de setembro de 1890 em Mogilno, Polônia. Estudou nas Universidades de Friburgo, Munique e Berlim (Alemanha).

Seu interesse pela Psicologia aparece gradualmente. Inicialmente se dedica à Química e à Física, depois à Filosofia, e finalmente vai preparar uma tese de psicologia. Obteve um doutorado em Filosofia pela Universidade de Berlim em 1914, com uma tese sobre “A psicologia do comportamento e das emoções“. Retoma e completa essa tese em trabalhos posteriores, publicando-a em 1926, simultaneamente em Londres e Berlim.

Kurt Lewin começou sua carreira na Universidade de Berlim em 1914. Foi convocado nesse mesmo ano e atuou no serviço militar durante toda a Primeira Guerra Mundial. Em 1921 torna-se professor assistente do Instituto de Psicologia da Universidade de Berlim.

Nesse período pós-guerra (1918-1921), publica três artigos sobre a medida dos fenômenos psíquicos. Em 1926 torna-se professor titular de psicologia na Universidade de Berlim. Conservará suas funções e este estatuto acadêmico até a tomada do poder pelos nazistas em 1933.

Em 1933, Kurt Lewin, que era judeu, é obrigado pelos nazistas a deixar a Alemanha com sua família em 24 horas. Não foi para um campo de concentração porque pagou um resgate.

Fica por alguns meses na Inglaterra, e depois se muda para os Estados Unidos da América, recebendo convite para ensinar na Universidade de Stanford. Após 1 ano, torna-se professor de psicologia na Universidade de Cornell. Posteriormente, recebe convite da Universidade de Iowa para ocupar uma cátedra de psicologia da criança e para assumir a direção de um centro de pesquisas ligado ao departamento de psicologia. Permanece em Iowa até 1939.

Nessa época, Lewin publica dois trabalhos teóricos, que logo o tornarão celebre: “A dynamic theory of personality” (Uma teoria dinâmica de personalidade) e “Principles of topological psychology” (Princípios da psicologia topológica). Nesse período, seu principal interesse é formular uma teoria do conjunto do comportamento individual e, ao mesmo tempo, elaborar modelos teóricos que permitam uma renovação na experimentação e a exploração dos fatos psíquicos.

Em 1939 Kurt Lewin volta à Universidade de Stanford, e em 1940 torna-se professor na Universidade de Harvard. Em 1945, a pedido do M.I.T. (Massachussets Institute of Technology), funda um centro de pesquisas em dinâmica de grupos. Para Kurt Lewin é o momento para criação e introdução do termo “dinâmica dos grupos” no vocabulário dos psicólogos. No início tentou defini-lo por referencia ao contexto acadêmico no qual empreende seus novos projetos de pesquisas.

A morte de Kurt Lewin

Kurt Lewin morreu de ataque cardíaco em 12 de fevereiro de 1947, com 56 anos, em sua residência em Newtonville, situada próxima aos dois centros que trabalhava: Harvard e o M.I.T..

Após sua morte, os professores Allport, de Harvard, e Cautwright, da Universidade de Michigan, em colaboração com sua filha, Gertrud, editam e publicam vários artigos de Kurt Lewin sobre dois temas complementares tratando de psicologia social e de dinâmicas de grupos.

O primeiro destes volumes intitulado “Resolving social conflicts” (resolvendo conflitos sociais) e o segundo “Field theory in social science” (teoria de campo em ciências sociais).

Um psicólogo tímido que adorava grupos

Kurt Lewin era, ao primeiro contato, um homem tímido e sem flexibilidade, e mostrava uma certa dificuldade em abordar as pessoas. Mas para aqueles que trabalhavam diretamente nas pesquisas tornava-se extremamente atraente por sua integridade intelectual, e especialmente pela capacidade inventiva que demonstrava no trabalho. Neste sentido, tornava-se uma inspiração para seus colaboradores de pesquisa.

Outro traço interessante do comportamento de Kurt Lewin era o fato de que exigia que tudo fosse discutido explorado e decidido em grupo: hipóteses, objetivos, metodologia e etc.

Sempre atento às opiniões e sugestões de onde quer que viessem, respeitoso e disponível, sempre pronto a ajudar seus alunos nos primeiros passos da preparação de suas pesquisas.

As descobertas de Kurt Lewin sobre a comunicação humana só constituíram para ele uma ciência depois de serem submetidas a experimentações sistemáticas e a verificações múltiplas na “vida real” dos grupos humanos, não apenas em laboratório.

A Teoria de Campo de Kurt Lewin

Em 1935, Kurt Lewin já se referia, em suas pesquisas sobre comportamento social, ao importante papel da motivação. Para melhor explicar a motivação do comportamento, elaborou a teoria de campo, que se baseia em duas suposições fundamentais.

a) o comportamento humano é derivado da totalidade de fatos coexistentes;

b) esses fatos coexistentes têm o caráter de um campo dinâmico, no qual cada parte do campo depende de uma inter-relação com as demais partes.

O comportamento humano depende do campo dinâmico atual e presente. Esse campo dinâmico é “o espaço de vida que contém a pessoa e o seu ambiente psicológico…”

Espaço Vital

Por toda carreira de 30 anos, Kurt Lewin dedicou-se a área amplamente definida da motivação humana, descrevendo o comportamento humano dentro de total contexto social e físico (Lewin, 1936, 1939).

Seu conceito geral de psicologia era prático, concentrando-se nas questões sociais que afetam a nossa vida pessoal e profissional.

Buscava mudança organizacional humanizando as fábricas da época, de modo que o trabalho se tornasse mais uma fonte de satisfação pessoal do que apenas uma forma de ganhar a vida…

A Motivação e o Efeito Zeigarnik

Kurt Lewin propôs a existência de um estado básico de balanço ou equilíbrio entre o indivíduo e o ambiente.

Qualquer pertubação desse equilíbrio provoca uma tensão que, por sua vez, conduz a alguma ação em um esforço de avaliar a tensão e restabelecer o equilíbrio.

Assim, para explicar a motivação humana, Lewin acreditava que o comportamento envolve um círculo de estados de tensão ou estados de necessidade seguidos de atividades e alívio.

Em 1927, Bluma Zeigarnik realizou um experimento, sob a supervisão de Lewin, para testar essa proposição. Os indivíduos recebiam uma série de tarefas e lhes era permitido terminar algumas, mas eles eram interrompidos antes de completarem outras. 

Resultado: a probabilidade de as pessoas lembrarem das tarefas era 1,9 maior no caso das tarefas interrompidas. De acordo com a teoria de Lewin, a maior precisão da memória era devida à tensão não descarregada da tarefa incompleta.

Frases de Kurt Lewin

“Se você realmente quer entender alguma coisa, tente mudá-la.”

“Não existe nada mais prático do que uma boa teoria.”

“A má teoria é aquela que tenta tomar o lugar dos fatos, dizendo-se mais importante que eles.”


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.