As diferenças entre Positivismo e Interpretativismo na Sociologia

Desenvolvido pelo filósofo francês Auguste Comte, a teoria do positivismo afirma que todas as reivindicações justificáveis podem ser verificadas por meio de provas científicas que envolvem os sentidos físicos. Este método de pensamento contrasta com a ênfase de interpretativismo sobre os elementos metafísicos de interação social.


positivismo-quadrinho-ciencia

Abordagem positivista de Comte à sociologia insiste que todas as interpretações podem ser comprovadas e verificadas exclusivamente através da sensação física. Através desta perspectiva, as estruturas sociais tornam-se rígidas e absolutas no contexto de que todas as regras estabelecidas por uma autoridade devem ser validadas devido à sua herança de mandatos existentes. Sociologia interpretativa contesta o positivismo na medida em que analisa fatores de causas imateriais que não podem ser determinados pelo meio ambiente material, e investe interesse subjetivo em esforços de colaboração dentro das sociedades.

Interpretivismo adicionalmente considera elementos de ambientes físicos como fontes de conhecimento que podem transcender entre as esferas imateriais de ser, com foco no papel individual de cada elemento em circunstâncias coletivas e materiais. Teorias positivistas argumentam que todas as interpretações da realidade são baseadas num quadro puramente objetivo, sem questionar princípios de valor moral. Neste sentido, o positivismo procura explicar como as pessoas operam dentro de suas sociedades, enquanto interpretativismo procura entender por que as pessoas e as suas sociedades funcionam da maneira que eles fazem.



Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.