As Contribuições de Wundt para a Psicologia

Neste post rápido vamos destacar e considerar as contribuições de Wundt para a Psicologia. Wilhelm Wundt geralmente é considerado o pai da psicologia experimental.

As origens da psicologia


Embora o termo psicologia que significa “estudo da alma” esteve em uso desde o século 16, a sua utilização moderna surgiu no século 19, quando os filósofos, os fisiologistas e médicos aplicaram o método científico para estudar a mente.

O passo fundamental para isso foi a aceitação de que a vida mental consciente estava ligada a processos biológicos no corpo – uma consequência da teoria da evolução de Darwin.

Isto implicou que os mesmos métodos utilizados no campo das ciências naturais podem ser usadas para estudar os fenômenos mentais.

Até ao final do século 19:

  • Psicologia adquiriu uma nova definição: “a ciência da vida mental, tanto de seus fenômenos e suas condições” (James, 1890)
  • Introspecção foi desenvolvida para expor a mente para a investigação científica
  • Os primeiros laboratórios experimentais de psicologia começaram a aparecer em universidades

Wilhelm Wundt

Wilhelm Wundt

Wilhelm Wundt (1832-1920) é geralmente considerado o pai da psicologia experimental.

Depois de estudar medicina, trabalhou como um fisiologista da Universidade de Heidelberg e mais tarde na Universidade de Leipzig. Enquanto em Heidelberg, ele deu o primeiro curso universitário de psicologia científica e passou a escrever o primeiro livro de psicologia, “Princípios de Psicologia Fisiológica” (Wundt, 1873-4). Em 1875, na Universidade de Leipzig, ele criou o primeiro laboratório dedicado à psicologia experimental.

Ao fazer isso, ele separou a psicologia da filosofia e da biologia e tornou-se a primeira pessoa a ser chamada de psicólogo.

A abordagem de Wundt ficou conhecida como estruturalismo porque ele usou métodos experimentais para encontrar os blocos básicos de construção (estruturas) de pensamento e investigar como eles interagiam. Para fazer isso, ele estudou sensação e percepção, observações de objetos, imagens e eventos dos participantes em partes constituintes da mesma forma que um anatomista iria estudar um corpo tentando encontrar suas partes constituintes e como elas interagem.

No começo, ele fez isso por estudar o tempo de reação – sistematicamente mudando os estímulos que ele apresentou aos participantes e medindo quanto tempo eles levavam para responder – inferia que se mais tempo fosse necessário para responder, mais processos mentais deveriam estar envolvidos.

Mais tarde, ele adaptou e desenvolveu um processo chamado introspecção para inferir mais sobre a natureza dos processos envolvidos.

Contribuições de Wundt para a Psicologia

  • Escreveu o primeiro livro de psicologia (Princípios de Psicologia Fisiológica, 1873-4)
  • Configurou o primeiro laboratório de psicologia experimental (1875)
  • Utilizou o método científico para estudar a estrutura da sensação e percepção
  • Mostrou que a introspecção poderia ser usada para estudar os estados mentais em experiências de laboratório replicáveis.

Por Ellie Willard, professora de Psicologia

 


Quer ler o site sem anúncios + conteúdo exclusivo?
☆ Assine o Psicoativo Premium





Um comentário em “As Contribuições de Wundt para a Psicologia

  • 03/03/2018 em 17:59
    Permalink

    Olá,
    Estava lendo o artigo científico escrito por Araújo (http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662009000200003) sobre Wundt, e me surgiram algumas dúvidas. Como seu site aborda a vida e os métodos científicos do Pai da psicologia científica, penso que possa me ajudar. Dentre as citações de Araújo, é afirmado que “Wundt foi acima de tudo um filósofo, cujo objetivo último era elaborar um sistema metafísico universal”. Entretanto, parágrafos depois ele descreve o seguinte sobre Wundt: “Como sua intenção era fundar uma nova psicologia – autônoma e independente de teorias metafísicas…”.

    Minha indagação é: Como Wundt desejaria fundar uma nova psicologia autônoma e livre de teorias metafísicas, se seu objetivo último era elaborar um sistema metafísico universal? Não seria contraditório ele ter um objetivo pelo qual luta contra?
    – E o que seria a metafísica na visão dele? É a mesma definição geral de Estudo do ser?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.