Experiência Religiosa tem um Efeito Fascinante no Cérebro

Escaneamentos do cérebro durante a experiência religiosa revelam os efeitos de intensos sentimentos ‘divinos’.

cerebro-deus-religiao

Ativação do cérebro durante a experiência religiosa é semelhante à observada durante a música, jogo, sexo e amor. Em outras palavras: a experiência religiosa ativa as áreas do cérebro que são centrais para recompensas.

Para a pesquisa, os mórmons devotos foram incentivados a “sentir o espírito”. Sentir o espírito é uma parte crítica da vida Mórmon. Isso é usado como a principal forma de comunicação com o divino, bem como o sentimento de paz e proximidade com Deus.

Um pequeno grupo de membros da igreja assistiram vídeos e leram citações destinadas a incentivar os sentimentos religiosos. Estes quase universalmente tiveram o efeito desejado quando participantes relataram sentimentos de calor físico e paz. Muitos derramaram lágrimas. As varreduras do cérebro foram realizadas durante esta experiência.

Michael Ferguson, o principal autor do estudo, disse:

“Quando os nossos participantes do estudo foram instruídos a pensar em um salvador, em estar com suas famílias pela eternidade, sobre as suas recompensas celestes, seus cérebros e corpos responderam fisicamente.”

Os exames mostraram que a intensa experiência religiosa estava ligada a atividade no núcleo accumbens, uma região do cérebro crítica para o processamento de recompensa.

Sentimentos espirituais também foram ligados à atividade no córtex pré-frontal medial. Esta área do cérebro está envolvida no julgamento, avaliação e raciocínio moral. Os mórmons também mostraram ativação em regiões cerebrais centrais para concentração.

Dr. Jeff Anderson, um co-autor do estudo, disse:

“A experiência religiosa é talvez a parte mais influente de como as pessoas tomam decisões que afetam a todos nós, para o bem e para o mal. Entender o que acontece no cérebro para contribuir com essas decisões é realmente importante. ”

Pensa-se que o cérebro durante estas experiências religiosas funciona de forma bastante diferente da forma como funciona durante a meditação.


O estudo foi publicado na revista Social Neuroscience ( Ferguson et al., 2016 ).

Via Psyblog



DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.