Religiosidade diminui comportamentos altruístas das crianças

• Identificação religiosa na família diminui comportamentos altruístas das crianças
• Crianças de famílias religiosas são mais duras em suas tendências punitivas

Religião diminui altruísmo
“Tudo meu”

Resumo

Comportamentos pró-sociais são onipresentes em toda a sociedade. Eles surgem cedo na ontogenia e são moldados pelas interações entre genes e cultura. .

De 5,8 bilhões de seres humanos, 84% da população mundial se identificam como religiosos. A religião é sem dúvida um aspecto predominante da cultura que influencia o desenvolvimento e expressão da pró-socialidade.

Embora seja geralmente aceito que a religião seja intimamente ligada à julgamentos morais das pessoas e comportamentos pró-sociais, a relação entre religiosidade e moralidade é controversa.

Nesse estudo foram avaliados o altruísmo e avaliação por terceiros de cenários que descrevem danos interpessoais em 1.170 crianças com idade entre 5 e 12 anos em seis países (Canadá, China, Jordânia, Turquia, Estados Unidos e África do Sul), a religiosidade de sua agregação familiar, e empatia e sensibilidade à justiça da criança relatados pelos pais.

Em todos os países, os pais em famílias religiosas relataram que seus filhos expressam mais empatia e sensibilidade para a justiça na vida cotidiana do que os pais não religiosos. No entanto, a religiosidade foi preditiva inversamente ao altruísmo das crianças e positivamente correlacionada com suas tendências punitivas. Juntos, esses resultados revelam a semelhança entre os países na forma como a religião influencia negativamente o altruísmo das crianças, desafiando a visão de que a religiosidade facilita comportamento pró-social.

Artigo via Deric’s MindBlog





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.