Educação na Sociologia: Perspectivas de Marx, Durkheim e Weber

Por André Pontes Silva*

A educação baseada na sociologia clássica se refere à formação do indivíduo na sociedade contemporânea, a partir do pensamento de cada um dos precursores comunistas: Karl Max, Émile Durkheim e Marx Weber.

KARL MARX 1818 – 1883

Segundo Corrêa e Kratanov (2013), Karl Marx tinha a concepção do homem como um indivíduo que se manifesta praticando conscientemente aquilo que na sua concepção de vida é certo, essa prática consciente foi conceituada de práxis. A práxis quando expressada pelo indivíduo, manifestava a personalidade individual, ou melhor, o homem em sua concepção. Já na concepção da história que o homem em questão estava inserido, ou seja, o ambiente, Marx criticava a sociedade capitalista por não concordar que algumas pessoas pudessem ter mais estabilidade e poder em relação a outras, isso caracterizava certa “opressão” aos operários. Assim, Marx propõe uma nova educação para todos e defende a inserção do ensino público gratuito unido ao trabalho; a fim de implantar uma educação democrática objetivando a superação do poder exercido pelos burgueses. Apesar de não existir informações relacionadas à educação escrita pelo teórico clássico da sociologia, Corrêa e Kratanov (2013) afirmam que Marx propõe uma definição do conteúdo pedagógico do ensino socialista que é composto pelo ensino intelectual; ensino prático de educação física militar e adestramento tecnológico. Nessa perspectiva, a formação do homem lhe daria autonomia superior à dos burgueses, o com o nível de formação crítica bem desenvolvida, o operário antes oprimido poderia exercer qualquer trabalho que almejasse.

ÉMILE DURKHEIM 1858 – 1917

Émile Durkheim também foi um grande precursor da sociologia, mas diferente de Marx, o teórico clássico se dedicou também ao ensino e práticas pedagógicas, e defendia a educação em oposição a influencia religiosa e monarquista, optava pelos métodos científicos e a prática, pois o mesmo acreditava que só assim era possível chegar a uma conclusão racional do que realmente é necessário para a formação do homem. Conforme os achados de Corrêa e Kratanov (2013), a educação é a ação exercida pelas gerações adultas sobre as gerações que não se encontram ainda preparadas para a vida interpessoal/social; neste sentido, sabendo que é da sociedade que vem os princípios morais necessários para a formação do homem, a  escola privada e a pública devem manter a mesma linha de ensino-aprendizagem determinada pelo estado, pois como se sabe, o ser social é mais importante que o ser individual.

MAX WEBER 1864 – 1920

Através de um discurso realizado na Universidade de Munique em 1918, Weber defendeu a formação continuada, uma vez que a moderna burocracia exige uma busca cada vez maior da eficiência e da técnica do homem contemporâneo. Assim, segundo Corrêa e Kratanov (2013), propõe um sistema de ensino dividido em três aspectos: a pedagogia do carisma e seu oposto que é relacionada à índole do indivíduo ; a pedagogia do treinamento relacionada as práticas necessárias para se viver em sociedade e desempenhar um bom trabalho , e, entre essas, a pedagogia do cultivo   relacionada ao comportamento ideal dentro da sociedade que o homem está inserido.


REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CORRÊA, R. A.; KRATANOV, S.V. Fundamentos Históricos e Filosóficos da Educação. Batatais: Claretiano, 2013.


*André Pontes Silva. Graduado em Educação Física. Cineantropometrista titulado pela International Society for the Advancement of Kinanthropometry (ISAK). Qualificado em Avaliação Física Funcional e Genética pela Federação Internacional de Educação Física (FIEP). Capacitado em APH, Resgate e Socorro. Aperfeiçoamento em Dislexia. E-mail: <[email protected]>.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.