Liberação de endorfina difere pela intensidade do exercício, diz estudo

Os pesquisadores sugerem que a liberação de endorfinas varia de acordo com a intensidade do exercício.
Há muito tempo estudos sugerem que o exercício provoca a liberação de hormônios de “bem-estar”, ou endorfinas, no cérebro. Uma nova pesquisa, no entanto, sugere que esse efeito é muito dependente da intensidade do exercício.

Os investigadores encontraram que os adultos que praticaram uma hora de treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) experimentaram um aumento significativo na libertação de endorfina em comparação com aqueles que praticaram uma hora de atividade física menos exigente.

A co-autora do estudo Tiina Saanijoki, do Turku PET Centre na Universidade de Turku, na Finlândia, e colegas relataram recentemente os seus resultados na revista Neuropsychopharmacology.

Orientações sugerem que os adultos devem praticar, pelo menos, 150 minutos de atividade aeróbica de intensidade moderada ou 75 minutos de atividade aeróbica de intensidade vigorosa a cada semana, de modo a melhorar ou manter a saúde física.

Mas os benefícios do exercício não são apenas físicos. Uma série de estudos têm mostrado que o exercício pode melhorar o humor e ajudar a aliviar a ansiedade e depressão. Tais efeitos foram atribuídos em parte à liberação de endorfinas desencadeada pelo exercício.

Endorfinas – muitas vezes referidas como “hormônios do bem-estar” – são peptídeos produzidos pelo cérebro que se ligam a receptores opiáceos cerebrais, reduzindo a percepção da dor e provocando sentimentos de euforia.

Exercício moderado x exercício intenso

Os pesquisadores descobriram que HIIT levou a um aumento significativo na liberação de endorfinas nos homens. Isto ocorreu em áreas do cérebro associadas com a dor, recompensa, e emoção, incluindo o tálamo, insula, córtex orbitofrontal, hipocampo e córtex cingulado anterior.

Além disso, a equipe descobriu que HIIT causou sentimentos negativos nos homens, o que também foi associado com um aumento na liberação de endorfina.

“Em intensidades muito elevadas de exercício a liberação de endorfinas parece estar ligada ao aumento dos sentimentos negativos e dor, e pode ser necessária para gerir o desafio emocionalmente e fisicamente exigente”, explica Saanijoki. “No entanto, esses sentimentos negativos podem desencorajar mais exercício.”

Após a atividade aeróbica de intensidade moderada, os homens relataram sentimentos de prazer e euforia, que correspondia com liberação de endorfina.

“Em intensidades de treinamento moderado, as sensações de prazer causadas ​​pela possível liberação de endorfinas podem promover o exercício habitual”, observa Saanijoki.

“Nossos resultados destacam que a intensidade do exercício afeta liberação de endorfina e que o sistema opióide do cérebro está envolvido em sentimentos positivos e negativos causados ​​pelo exercício físico realizado em intensidades diferentes”, diz Saanijoki.

Liberação de endorfina induzida pelo exercício pode ser um importante mecanismo que suporta motivação do exercício e manutenção de exercício físico regular. […] Intensidade do exercício deve ser levada em conta quando se inicia novas rotinas de exercícios.”

Tiina Saanijoki

Leia também:


Via MNT



DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.