Método não-invasivo de estimular partes profundas do cérebro

Estimulação elétrica de partes profundas do cérebro tem provado ser benéfica no tratamento de uma série de distúrbios cerebrais, tais como a doença de Parkinson, transtorno obsessivo compulsivo, epilepsia e depressão. No entanto, a abordagem requer a implantação de um eletrodo diretamente no interior do cérebro, o que envolve uma cirurgia de risco e dispendiosa.

A nova técnica informada este mês evita esse problema usando um par de eletrodos localizados na superfície do couro cabeludo. O método baseia-se no uso de um fenômeno conhecido como interferência temporal. Esta técnica permite a entrega direcionada de estimulação elétrica para áreas mais profundas do cérebro, tais como hipocampo, sem estimular a área do cérebro na superfície.

Veja também:


Referências:

Nir Grossman, David Bono, Nina Dedic, Suhasa B. Kodandaramaiah, Andrii Rudenko, Ho-Jun Suk, Antonino M. Cassara, Esra Neufeld, Niels Kuster, Li-Huei Tsai, Alvaro Pascual-Leone, Edward S. Boyden. Noninvasive Deep Brain Stimulation via Temporally Interfering Electric Fields. Cell, 2017; 169 (6): 1029 DOI: 10.1016/j.cell.2017.05.024

Via Brain Blogger




DEIXA O LIKE AÍ COMO REFORÇO POSITIVO PRA GENTE :D CURTE E COMPARTILHA E VAMOS LEVAR A PSICOLOGIA AOS CONFINS DO UNIVERSO! \o/\o/\o/\o/\o/


🔴 COMENTA AÍ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.