Elizabeth Thomas hoje: A menina de 6 anos que queria matar a família cresceu

Elizabeth Thomas, conhecida como “a menina psicopata de 6 anos que queria matar a família”, apareceu em 1989 em um documentário da HBO chamado “A ira de um anjo” falando sobre matar seus pais.

 

Elizabeth Thomas foi diagnosticada com Transtorno de Apego Reativo, condição que tem como principais características falta de sociabilidade e de empatia.

O que é Transtorno de apego reativo

Transtorno de apego reativo é descritoa na literatura clínica como uma doença grave e relativamente incomum que pode afetar crianças. Transtorno de apego reativo é caracterizado por formas acentuadamente perturbadas e inadequadas de se relacionar socialmente na maioria dos contextos. Ele pode assumir a forma de uma falha persistente para iniciar ou responder à maioria das interações sociais de uma maneira conhecida como “forma inibida” – ou pode apresentar-se como a sociabilidade indiscriminada, como excessiva familiaridade com estranhos conhecida como a “forma desinibida”. 

A característica principal é total inadequação social nas crianças afetadas. Isso pode se manifestar de duas maneiras: (1) Tentativas indiscriminadas e excessivas de receber conforto e carinho de quaisquer adultos disponíveis, até mesmo estranhos (crianças mais velhas e adolescentes também podem fazer tentativas com seus pares). (2) Extrema relutância para iniciar ou aceitar conforto e carinho, até mesmo de adultos familiares.

Elizabeth Thomas foi violentada sexualmente pelo pai biológico, segundo o psicólogo clínico KenMagig. Ele diz que tal abuso no início da vida pode impedir a conexão emocional com outras pessoas, gerando incapacidade de sentir ou receber amor.

Elizabeth sentia um desejo constante de matar a família e guardava facas da cozinha para isso. Ela planejou diversas vezes a morte de seus pais adotivos, Tim e Julie Tennant. Sem qualquer remorso ou culpa, ela demonstrava saber o significado e resultado de suas ações.

Entre os atos mais notáveis de Elizabeth Thomas estão:

  • pegar um ninho de passarinho para matar os filhotes
  • esfaquear e perfurar o cão da família
  • tentar sufocar o irmão enquanto ele dormia
  • tentar ferir um colega de classe com um caco de vidro
  • Ela também teria se insinuado sexualmente para seu avô

Seus pais adotivos ficaram alarmados por estes comportamentos e passaram por uma série de terapias para ajudar Beth a lidar com seu passado trágico. Felizmente, a terapia funcionou e ela se recuperou de seu passado perturbador.

Elizabeth-Thomas-hoje

Beth é agora enfermeira em um hospital em Flagstaff. Ela está trabalhando na Unidade Neonatal.


Referências:

Jornal Ciência

Oddity World

 





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.