2.) A depressão persistente pode danificar partes do cérebro. Pesquisa publicada no Molecular Psychiatry sobre depressão encontra associação da doença com o encolhimento do hipocampo. (O hipocampo é uma área do cérebro responsável pela formação da memória) “Todo o seu sentido de si mesmo depende da compreensão continuamente de quem você é no mundo – o seu estado de memória não é sobre apenas saber como fazer Sudoku ou lembrar sua senha – é todo o conceito que temos de nós mesmos “, disse o co-autor Ian Hickie.

3.) Uma pesquisa publicada na Depression and Anxiety descobriu que quanto mais tempo os jovens adultos gastam usando a mídia social, mais provável que eles fiquem deprimidos. Mas a relação de causa e efeito não é clara. “Pode ser que as pessoas que já estão deprimidas estão se voltando para a mídia social para preencher um vazio“, explicou o autor Lui yi Lin.

4.) Outra pesquisa sugere que a dependência de tecnologia móvel está ligada à depressão.”As pessoas que se auto-descrevem como tendo comportamentos de estilo realmente viciante em direção à Internet e aos celulares marcaram escalas muito maiores sobre depressão e ansiedade”, disseram os pesquisadores. Felizmente, simplesmente usar dispositivos móveis para aliviar o tédio não foi associado com a depressão.

5.) Os jovens que se juntam a gangues são mais propensos a ser deprimidos e suicidas, de acordo com um estudo publicado na revista Criminal Justice and Behavior. “Os jovens que se juntam a uma gangue são muito mais propensos a ter problemas de saúde mental, e depois de estar no grupo realmente se torna pior”, disse o pesquisador Chris Melde. “Ele não age como um antidepressivo. E algumas pessoas podem estar buscando isso – uma sensação de bem-estar ou propósito “.

6.) Uma pesquisa publicada no  Journal of the American Geriatrics Society concluiu que  interações sociais face-a-face podem proteger idosos contra a depressão. “A investigação a longo prazo apoiou a ideia de que fortes laços sociais fortalecem a saúde mental das pessoas. Mas este é o primeiro olhar para o papel que o tipo de comunicação com os entes queridos e amigos desempenha na salvaguarda de pessoas com depressão. Descobrimos que todas as formas de socialização não são iguais. Telefonemas e comunicação digital, com amigos ou familiares, não têm o mesmo poder que  interações sociais face-a-face para ajudar a evitar a depressão”, disse o autor Alan Teo.

7.) A depressão pode aumentar o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, quando combinada com outros fatores de risco metabólicos, de acordo com um estudo publicado na revista Molecular Psychiatry . Depressão sozinha não parece aumentar significativamente o risco. Mas aqueles com depressão e fatores de risco metabólicos foram mais de seis vezes mais propensos a desenvolver diabetes. Isso pode ser porque as pessoas que sofrem de depressão são menos propensas a aderir a conselho médico ou porque a depressão provoca mudanças nos sistemas metabólicos do corpo (ou ambos).