Inflamação crônica e depressão: Como “jogar gasolina no fogo”

A inflamação crônica na corrente sanguínea pode intensificar a depressão, de acordo com um novo estudo da Universidade Rice e Ohio State University. Os pesquisadores dizem que o processo é semelhante a jogar gasolina no fogo.

Inflamacao e depressaoPara o estudo, publicado no American Journal of Psychiatry, os  pesquisadores analisaram 200 trabalhos existentes sobre a depressão e inflamação.

“Na área da saúde da psicologia na Rice, estamos muito focados na intersecção de comportamento com saúde, psicologia e medicina”, disse o co-autor Dr. Christopher Fagundes, professor assistente de psicologia.

“Uma coisa que nós estamos particularmente interessados é em como o estresse afeta o sistema imunológico, que por sua vez causa doenças e efeitos na saúde mental – o foco deste trabalho.”

Além de estar vinculada a diversos problemas de saúde física, como câncer e diabetes, inflamação sistêmica está relacionada com problemas de saúde mental, incluindo depressão. Entre os pacientes que sofrem de depressão clínica, duas concentrações de marcadores de inflamação, PCR e IL-6, foram encontrados como sendo elevadas em até 50%.

Fagundes disse que inflamação crônica é mais comum em indivíduos que sofreram estresse significativo em suas vidas, incluindo lutando com nível socioeconômico mais baixo ou ter um histórico de abuso ou negligência durante a infância. Outros fatores que contribuem são uma dieta pobre e índice de massa corporal elevado.

“Investigação anterior mostra que as pessoas que têm problemas socioeconômicos ou tiveram problemas no início de suas vidas já estão em maior risco de ter problemas mentais por causa dessas tensões em suas vidas”, disse Fagundes. “Como resultado, elas muitas vezes experimentam uma maior ocorrência de inflamação crônica, que tem ligação com depressão.”

É normal para o ser humano reagir com uma resposta inflamatória tal como vermelhidão em uma área do corpo que está lesionada.

“Este é o seu sistema imunológico trabalhando para matar o patógeno, o que é uma coisa boa”, disse Fagundes. “No entanto, muitos indivíduos apresentam inflamação sistêmica persistente, o que nós estamos encontrando é realmente a raiz de todas as doenças físicas e mentais. Estresse, bem como a má alimentação e comportamentos não saudáveis, aumenta a inflamação. “

Fagundes observou que um forte sistema de apoio no início da vida é fundamental para ajudar as pessoas a aprender a lidar com o estresse mais tarde na vida.

Os resultados também mostram que a depressão desencadeada pela inflamação crônica é tipicamente resistente a métodos de terapia tradicionais, mas pode ser tratada com atividades como ioga, meditação, AINEs (medicamentos anti-inflamatórios não esteroides) e exercícios.

Fagundes espera que o estudo lence luz sobre os perigos da inflamação corporal e as medidas que podem ser tomadas para evitá-la. Ele está lançando um estudo de cinco anos destinado a examinar os impactos da inflamação na depressão e doença entre aqueles que recentemente perderam um cônjuge, na esperança de encontrar melhores formas de tratar o luto em adultos mais velhos.

“Nós ainda temos muito a aprender sobre como inflamação aumenta depressão, mas estamos fazendo progressos”, disse ele. “Esperamos que um dia esse trabalho vá levar a novos tratamentos para depressão e outros males”.

Fonte: Universidade Rice
Por Traci Pedersen




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.